Solidão

 Este poema circulou por diversas ocasiões como sendo de Chico Buarque. 
Dentre pesquisas que fiz, na realidade é de autoria de FÁTIMA IRENE PINTO,
 fazendo parte de publicações suas como Ecos da Alma e Palavras para 
Entorpecer o Coração.

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo…

Isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar…

Isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos…

Isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida…

Isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado…

Isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma…. 



Anúncios

Um pensamento sobre “Solidão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s