O Tempo

Com muito carinho reproduzo aqui um poema de Gelson Zumbano, advogado, escritor, poeta, irmão de minha querida amiga Enide e de minha tia muito amada Idene. Era um homem de gestos calmos, fala mansa, uma cabeça incrível. Um homem citado  na família como “muito fino” forma que se falava na época. Parece-me que teve um namorico com minha mãe enquanto solteiros e comentavam ainda quando eu era menina. Fica aqui minha homenagem a ele e às queridas citadas.
ampulheta

Uns não têm tempo, nem de pensar em tempo.

Outros têm tempo e perdem todo o tempo

Muitos não podem reaver o tempo

Perdidos nesse afã de ganhar tempo.

 

 De que sóis, de que céu surge o Tempo?

Ele vem manso, consumindo o tempo

De quem ficou sonhando tanto tempo

E que não viu passar o tempo.

 

O tempo lento leva todo tempo

A destruir, no evoluir do tempo,

A vida de quem já perdeu o seu tempo.

 

Mas aquele que vê findo o tempo

Há se sentir saudade desse tempo

Na quimera dos sonhos do seu tempo

 

Anúncios

6 pensamentos sobre “O Tempo

  1. Visitantes queridos você quis dizer, né? Também acho uma delícia essa troca. Facebook é divertido. Rio muito com as besteiras que acontecem por lá. E tem coisa boa também, mas precisa ter paciência pra ir passando e encontrar. Abraços, querido amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s