Arquivo | novembro 2013

O que é Wabi Sabi?

 zen

Wabi Sabi é a expressão que os japoneses inventaram

para definir a beleza que mora nas coisas imperfeitas e incompletas. 

O termo é quase que intraduzível.

 Na verdade, wabi sabi é um jeito de “ver” as coisas

através de uma ótica de simplicidade, naturalidade e aceitação da realidade. 

Contam que o conceito surgiu por volta do século 15.

Um jovem chamado Sen no Rikyu (1522-1591)

queria aprender os complicados rituais da Cerimônia do Chá.

E foi procurar o grande mestre Takeno Joo.

 Para testar o rapaz, o mestre mandou que ele varresse o jardim.

Rikyu lançou-se ao trabalho feliz.

 Limpou o jardim até que não restasse nem uma folhinha fora do lugar.

Ao terminar, examinou cuidadosamente o que tinha feito:

o jardim perfeito, impecável, cada centímetro de areia imaculadamente varrido,

cada pedra no lugar, todas as plantas caprichadamente ajeitadas.

 E então, antes de apresentar o resultado ao mestre Rikyu

chacoalhou o tronco de uma cerejeira e fez caírem algumas flores

que se espalharam displicentes pelo chão.

 Mestre Joo, impressionado, admitiu o jovem no seu mosteiro.

 Rikyu virou um grande Mestre do Chá

e desde então é reverenciado como aquele

que entendeu a essência do conceito de wabi-sabi:

a arte da imperfeição.

 wabi

 

As 9 regras que deve seguir:

  • Ordene a casa aos poucos. Comece por uma gaveta ou uma estante;
  • Dedique 15 minutos do seu dia a limpar a sujidade;
  • Mantenha as coisas no devido lugar para encontrá-las mais facilmente;
  • Esvazie um armário e decida com o que é que quer ficar, o que é que pode colocar noutro sítio e aquilo de que já não precisa;
  • Procure quatro caixas e coloque-lhe etiquetas: guardar, oferecer, deitar fora e guardar durante um ano. Se ao fim desse ano não lhe tocou, deite-a fora.;
  • Desfaça-se de dois objetos sempre que comprar um novo. Não tenha mais de três objetos em cada superfície;
  • Cubra só uma décima parte da mesa com objetos de diferentes tamanhos;
  • Diga taxativamente não aos imanes para o frigorífico;
  • Use cestos de verga e potes para canetas, lápis, moedas, chaves, etc.

 

sabi

A filosofia Wabi Sabi

A arte do Wabi Sabi, inspirada nos ensinamentos do Taoismo e do Budismo, fundamenta-se na doutrina da simplicidade, da moderação, da naturalidade, da alegria, da melancolia, da assimetria e da não permanência.

Trata-se de perceber que a ação humana sobre o mundo deve ser tão delicada que não impeça a verdadeira natureza das coisas de se revelar, descobrindo a beleza que existe naquilo que tem as marcas do tempo e que ainda guarda em si a natureza.

O conceito surgiu no século XV e define-se, de uma forma simples, como a arte da imperfeição.

Mantenha a ordem sem obsessões. A limpeza é uma forma de respeito pelo nosso meio envolvente. A sujidade é um espelho do estado mental de quem ali vive. O encanto das fendas de um chão ou de um teto de madeira é maior quando não há rasto de sujidade.

Procure a espontaneidade. A sua casa é o lugar onde vive e a vida deixa marcas. Não deixe que a marca da mão do seu filho na parede ou que a base do telefone decorada com rabiscos o deixe ansioso. Assuma-o como parte da decoração da sua vida. Talvez um dia essas marcas já não estejam lá e sinta nostalgia do amor e ternura que representaram.

Desfaça-se do supérfluo. Os livros que não vai voltar a ler ou que não a marcaram, a roupa que já não vai usar, os objetos usados que já não vê como belos.

Recicle tudo o que conseguir. Permita que aquilo de que já não consegue desfrutar possa continuar a existir na vida de outras pessoas. E evoque, assim, a arte do efêmero. Tudo muda nada permanece.

Preste atenção aos detalhes. Espelhos, plantas, água, fogo, inclusive odores: da madeira, da roupa acabada de lavar, do sabonete das mãos… Perca tempo com estes detalhes para agradar os seus sentidos.

Proteja o silêncio. Coloque portadas ou persianas para reduzir o ruído dentro de casa. Isole as paredes caso seja necessário.

Anúncios

Sincronicidade – Coincidências da Vida

Imagem

Quem nunca se surpreendeu com as misteriosas coincidências que acabaram mudando o rumo de sua vida?

O que estaria por trás dessas insistentes repetições? As respostas para explicar a sincronicidade são tão fascinantes quanto as perguntas…

Quando a sincronicidade acontece, é sempre uma surpresa. Como aquela inacreditável seqüência pode se desencadear diante dos nossos olhos, sem nenhuma explicação? O que ela significa? Porque acontece? Que mecanismos ocultos acionariam esse processo?

Cada vez mais pessoas estão se conscientizando da importância da sincronicidade e já pautam suas vidas pelas indicações encobertas pelas coincidências. Isso é possível quando estamos sincronizados com a ordem celeste  – enfim, quando nossos passos desenham a vontade de Deus. A sincronicidade é a linguagem do divino para orientar nossa vida. E o divino atua tanto dentro quanto fora de nós.

Precisamos cada vez mais nos tornar sensíveis para perceber a sincronicidade pontuando o nosso destino.

A sincronicidade abre um caminho para você escutar a si mesmo e ativa sua intuição. O resto é com você. Às vezes precisamos de muita coragem para abandonar estruturas que construímos durante a vida e seguir os sinais que nos indicam novos caminhos.

A força de mente

Quem primeiro reconheceu que os eventos sincrônicos, ou coincidências significativas, tinham um sentido maior e que se relacionavam com a nossa psique (mente) foi o psicólogo suíço (1875-1961) Carl Gustav Jung.

A repetição é um dos mecanismos básicos da nossa psique. As coisas se repetem, se repetem  – em sonhos, símbolos ou acontecimentos – até que finalmente, a nossa compreensão sobre algo é despertada.

Quando temos um problema, ele volta inúmeras vezes a nossos pensamentos, como se fosse um disco arranhado. Mas quando finalmente compreendemos o que temos de compreender, cessa a repetição. Revela-se aquilo que estava sendo expresso por símbolos, entendemos a situação e integramos seu conteúdo.

Para compreender esse sentido, talvez seja preciso um árduo trabalho: pesquisar os significados dos símbolos, prestar atenção quando eles ocorrem, refletir a respeito. Mas a compreensão também pode surgir espontaneamente, sem nenhum raciocínio lógico. A esse tipo de compreensão instantânea Jung dava o nome de insight.

Jung afirmava que temos quatro funções básicas:razão, emoção, sensação e intuição. No nosso ser, geralmente uma delas é predominante. Mas quando trabalhamos internamente na direção do equilíbrio, uma nova função é acrescentada: a sincronicidade.

Fios de uma trama maior

“O universo tem uma lei, uma harmonia, que às vezes desconhecemos. Choramos quando algo muda e foge de nossas mãos. Não deixamos as mudanças ocorrerem, seguramos a vida.

Quando finalmente aceitamos que o desenho da nossa vida não nos pertence e que existe no Universo uma trama de fios mais grandiosa e complexa, tudo muda… Ficamos mais atentos aos sinais que nos mostram os caminhos da ação correta, a ação que aceita e se entrelaça amorosamente com os desígnios divinos.

Enfim, nos submetemos _ não somos mais um ego que tenta controlar tudo a qualquer custo. Finalmente cedemos, e mudamos.”

Colaboração: Doucy Douek – Terapeuta Transpessoal

Publicado O Mundo de Gava/Facebook

O CAMINHO DO CORAÇÃO

este é osho 

Perceba que é fácil encontrar pessoas que dizem que amam a humanidade.

E o mais interessante: Elas nunca amaram um único ser humano.

Não são capazes sequer de dar um bom dia pra quem passa a sua frente pela manhã.

Como podemos amar a humanidade?

A humanidade é uma abstração.

Esses são truques da mente…

Sempre que você encontrar alguém você encontrará um ser humano.

A humanidade não existe em lugar algum. Há apenas seres humanos e seres humanos.

A humanidade só existe na mente dos filósofos.

Mas amar a humanidade é uma ideia muito ardilosa, muito enganadora.

Você pode matar seres humanos em nome da humanidade.

É o que diz Hitler, Stalin e todos os políticos do mundo.

Para salvar a humanidade teremos que matar seres humanos.

Então, perceba: A humanidade não existe. Da mesma forma, a floresta não existe.

O que existe é a árvore. Árvores, árvores e mais árvores…

Se você começar a procurar a floresta e ignorar as árvores, nunca encontrará a floresta.

Talvez seja por isso que tantas pessoas procuram por Deus e nunca encontram – elas estão procurando por uma abstração.

E as pessoas continuam perguntando: “Onde está Deus?” No meio da floresta, elas perguntam: “Onde está a floresta?”

Mas a floresta está no carvalho, no cedro, no pinheiro.

A floresta se manifesta de mil e uma formas.

Então ame o real, o concreto, e você poderá ver o mal que as pessoas têm feito em nome de abstrações.

Cristãos lutando e matando Muçulmanos, Muçulmanos lutando e matando Hindus.

E quando você lhes pergunta por quê, eles dizem: Por Deus.

O Deus muçulmano é uma abstração, o Deus Hindu é uma abstração, o Deus Cristão é uma abstração.

O que existe é a Divindade…

Vc mata Deuses reais em nome de teorias.

Esse não é o caminho.

Então ame o ser vivo que está ao seu lado e encontre Deus.

Não pergunte o que é Deus, não pergunte onde está Deus, não!

Comece amando, e através do amor a definição entrará em vc.

A compreensão virá através do amor – não através do pensamento.

Então, ame o homem, ame a mulher, ame a criança, ame o animal, ame a árvore, ame as estrelas…

Não pergunte por Deus, e você encontrará Deus.

Esse é o caminho do coração.

Osho

Amizade e Juventude

Conheces a relação entre os teus dois olhos? 

Eles piscam juntos,  movem-se juntos, choram juntos, vêem as coisas juntos e dormem juntos.
Ainda que nunca possam se ver um ao outro…

A amizade deve ser exatamente assim! 
 
Estamos na semana mundial do melhor amigo.

Quem é o teu melhor amigo? 
 
Campanha! Os amigos também dizem: TE AMO!!!…

buquê

COMO MANTER-SE JOVEM

1. Elimine os números que não são essenciais.Isto inclui a idade , o peso e a altura..
Deixe que os médicos se preocupem com isso.

2. Conserve só os amigos divertidos.Os depressivos jogam-no para baixo.
(Recorde isto se for um desses depressivos!)

3. Aprenda sempre:
Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o  que quer que seja.

Não deixe que o seu cérebro se torne preguiçoso.
‘Uma mente preguiçosa é a oficina do Alemão.’ e o nome do Alemão é Alzheimer!

4. Aprecie mais as pequenas coisas.

5. Ria muitas vezes , durante muito tempo e muito alto.

Ria até que lhe falte o ar.
E se tem um amigo que o faz rir, passe muito mais tempo com ele / ela!

6. Quando as lágrimas aparecerem
Aguente, sofra e supere-as.

A única pessoa que fica conosco toda a vida somos nós mesmos.
VIVA enquanto estiver vivo.

7. Rodeie-se das coisas que ama:
A família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja.
O seu lar é o seu refúgio.

8. Cuide da sua saúde:
Se é boa, mantenha-a.
Se é instável, melhore-a.
Se não consegue melhorá-la , procure ajuda.

9. Não faça viagens de culpa. Viaje para o shopping, para um país diferente,
Nunca para onde  haja culpa.

10. Diga às pessoas que ama, que as ama em cada oportunidade.

Se A VIDA É BELA POR QUE NÃO SORRIR SEMPRE?

”… Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda…” Cecília Meireles

Chá de Alfazema

Esta foi uma grande novidade pra mim.

Sou ligadíssima em produtos naturais e ervas de todos os tipos.

Mas nunca tinha ouvido falar nas propriedades da ALFAZEMA.

Gosto muito do perfume dessa lavanda.

Mas chá e com propriedades tão  benéficas?

Novidade das melhores! Por isso divido aqui com meus amigos e interessados.

plantação alfazema

Quando ouvimos a palavra “alfazema”, logo lembramos do perfume tão popular há muito tempo. Mas poucas pessoas sabem que a alfazema é a mesma coisa que a lavanda! Esta planta medicinal é um arbusto de flores azul-violeta lindíssimas, mede de 30 a 80 centímetros e possui um cheiro penetrante e bem aromático – principal característica da alfazema. É conhecida há tanto tempo que até os gregos e romanos a utilizavam em seus banhos, e também teve um importante papel (o principal, na verdade) na expansão e desenvolvimento da arte da perfumaria e cosmética na Europa; mais tarde, viria a ser usada durante a II Guerra Mundial, para limpar os ferimentos dos soldados.

Possuindo uma característica tão forte como o seu aroma, a alfazema acaba passando um pouco despercebida quando o assunto são os chás. O chá de alfazema é cheio de benefícios que merecem mais reconhecimento.

Propriedades do chá de alfazema

  • Analgésica.
  • Antisséptica.
  • Antiemética.
  • Antiespasmódica.
  • Anti-inflamatória.
  • Antiperspirante.
  • Aromática.
  • Calmante.
  • Carminativa.
  • Cicatrizante.
  • Desodorante.
  • Tônica.
  • Alivia dores de cabeça e as temidas enxaquecas.
  • Auxilia no tratamento para gota e depressão.
  • Ajuda quem está com flatulências.
  • Alivia náuseas, congestão linfática, tosses, dores reumáticas, problemas digestivos e problemas menstruais (neste caso, regula a menstruação).
  • Problemas respiratórios como asma e bronquite têm os seus sintomas aliviados e/ou evitados.
  • Problemas circulatórios podem ser aliviados ou combatidos com o chá.
  • Possui um efeito calmante, ótimo para quem sofre de tensão nervosa.

Benefícios

Mas, como toda planta medicinal, a alfazema possui contraindicações e efeitos colaterais. Quanto às contraindicações, deve apenas ser evitado por aquelas pessoas que possuem úlcera. E quanto aos efeitos colaterais, o principal é a sonolência, que ocorre apenas quando são tomadas muitas doses desse chá. O outro efeito colateral é a irritação no estômago, que nem sempre ocorre.

Como fazer o chá de alfazema e dosagem

Você irá precisar de duas colheres de chá de folhas frescas da alfazema e um litro de água mineral:

– Ferva a água pura.

– Quando levantar fervura, despeje sobre as folhas de alfazema.

– Deixe tampado por mais ou menos 10 minutos.

– Coe o chá e beba.

A dosagem recomendada deste chá é de 3 a 4 vezes ao dia, porém, se você possuir tendência para a sonolência, tome menos xícaras (2 a 3 xícaras durante o dia serão suficientes).

Por: Camila Albuquerque

Revisão: Cibele Santos – Nutricionista, Taróloga e Terapeuta Xamânica

O espírito da mulher xamã

guirlanda

TERAPEUTA OU CURADORA

Erveiras, raizeiras, benzedeiras, mulheres sábias que por muito tempo andaram sumidas, ou até mesmo escondidas. Hoje retornam com um diploma de pós-graduação nas mãos e um sorriso maroto nos lábios. Seu saber mudou de nome. Chamam de terapia alternativa, medicina vibracional, fitoterapia, práticas complementares… são reconhecidas e respeitadas, tem seus consultórios e fazem palestras.

As mulheres curadoras fazem parte de um antigo arquétipo da humanidade. Em todas as lendas e mitos, quando há alguém doente ou com dores, sempre aparece uma mulher idosa para oferecer um chazinho, fazer uma compressa, dar um conselho sábio. Na verdade, a mulher idosa é um arquétipo da ‘curadora’, também chamada nos mitos de Grande Mãe.

Não tem nada a ver com a idade cronológica, porque esse é um arquétipo comum a todas as mulheres que sentem o chamado para a criatividade, que se interessam por novos conhecimentos e estão sempre a procura de mais crescimento interno. Sua sabedoria é saber que somos “obras em andamento’, apesar do cansaço, dos tombos, das perdas que sofremos… a alma dessas mulheres é mais velha que o tempo, e seu espírito é eternamente jovem.

Talvez seja por isso que, como disse Clarissa Pinkola, toda mulher parece com uma árvore. Nas camadas mais profundas de sua alma ela abriga raízes vitais que puxam a energia das profundezas para cima, para nutrir suas folhas, flores e frutos. Ninguém compreende de onde uma mulher retira tanta força, tanta esperança, tanta vida. Mesmo quando são cortadas, tolhidas, retalhadas, de suas raízes ainda nascem brotos que vão trazer tudo de volta à vida outra vez.

Por isso entendem as mulheres de plantas que curam, dos ciclos da lua, das estações que vão e vem ao longo da roda do sol pelo céu. Elas tem um pacto com essa fonte sábia e misteriosa que é a natureza,. Prova disso é que sempre se encontra mulheres nos bancos das salas de aula, prontas para aprender, para recomeçar, para ampliar sua visão interior. Elas não param de voltar a crescer…

Nunca escrevem tratados sobre o que sabem, mas como sabem coisas! Hoje os cientistas descobrem o que nossas avós já diziam: as plantas têm consciência! Elas são capazes de entender e corresponder ao ambiente à sua volta. Converse com o “dente-de-leão” para ver… comunique-se com as plantas de seu jardim, com seus vasos, com suas ervas e raízes, o segredo é sempre o amor.

Minha mãe dizia que as árvores são passagens para os mundos místicos, e que suas raízes são como antenas que dão acesso aos mundos subterrâneos. Por isso ela mantinha em nossa casa algumas árvores que tinham tratamento especial. Uma delas era chamada de “árvore protetora da família”, e era vista como fonte de cura, de força e energia. Qualquer problema, corríamos para abraçá-la e pedir proteção.

O arquétipo de ‘curadora’ faz parte da essência do feminino, mesmo que seja vivenciado por um homem. Isso está aquém dos rótulos e definições de gênero. Faz parte de conhecimentos ancestrais que foram conservados em nosso inconsciente coletivo. Perdemos a capacidade de olhar o mundo com encantamento, mas podemos reaprender isso prestando atenção nas lendas e nos mitos que ainda falam de realidades invisíveis que nos rodeiam. Um exemplo? Procure saber mais sobre os seres elementais que povoam os nossos jardins e as fontes de águas… fadas, gnomos, elfos, sílfides, ondinas, salamandras…

As “curadoras’ afirmam que podemos atrair seres encantados para nossos jardins! Como? Plantando flores e plantas que atraiam abelhas e borboletas, gaiolas abertas para passarinhos e bebedouros para beija-flores. Algumas plantas ‘convidam’ lindas borboletas para seu jardim, como milefólio, lavanda, hortelã silvestre, alecrim, tomilho, verbena, petúnia e outras. Deixe em seu jardim uma área levemente selvagem, sem grama, os seres elementais gostam disso. Convide fadas e elfos para viverem lá. Lembre-se: onde você colocar sua percepção e sua consciência, a energia vai atrás.

planta

RITUAL PARA CRIAR UM CAMPO DE ENERGIA EM SUA CASA:

Escolha uma planta para ser a Planta Protetora de sua casa.
Batize-a, perguntando-lhe o nome.

O nome que vier à sua cabeça é este que ela está lhe falando.

Isso é importante, porque você está estabelecendo um primeiro relacionamento com sua planta.
Converse com ela, conte-lhe alguma coisa – pode ser um sonho, um desejo ou uma intenção para a energia de sua casa.
Todas as vezes que for regar a planta, pense na sua intenção e reforce o seu propósito.
Agradeça sempre pela energia que ela está emanando para sua casa.

Diga:
Obrigada, Espírito da minha Planta Protetora, por você estar energizando essa casa.

Este simples gesto significa que você confere existência e poder à sua Planta Protetora.

Por: Mani Alvarez – Coordenadora do curso de pós-graduação em Práticas Complementares em Saúde

Publicado em O Mundo de Gaya / Facebook


 

Pequena homenagem

Hoje me ocorreu fazer uma pequena homenagem a uma querida amiga que tem me acompanhado dia a dia,

com quem mantenho um contato super real apesar de virtual.

Ela vai se localizar aqui, com certeza. Não precisa nem legendas rsrs

Inseri imagens diversas que lembram o que conversamos em nossos contatos diários.

cão da suzi
encontros da vida

fred

casinha

casa no parquecasa pré

amigas

flores

 

 

 

par de vasos