Arquivo | abril 2014

Jesus é o cara!

 Esta reprodução da figura de Jesus, no meu conceito, é bem mais próxima do que ele poderia ter sido.

Másculo, forte, moreno, barbado.

Um homem que caminhava pelo deserto, pregando sua filosofia de eterna vida.

Alguém tão marcante que permanece na lembrança de todos, até dos que não lhe creditam santidade.

Por coincidência com o texto que abaixo reproduzi, hoje acordei

e pensei em como poderia escrever sobre as lições de paciência que venho tendo nos últimos meses.

Então me lembrei desta figura que tenho reproduzida em meu quarto em outra forma que também reflete o que penso dele

e me ocorreu exatamente a expressão:

JESUS É O CARA!

Jesus

Jesus é foda!

eu adoro essa pessoa/personagem – como prefira, leitor. Existiu ou não existiu? Santo ou rebelde? Deus ou homem? a atmosfera que percorre o Cristo é das mais intrigantes da história da humanidade. Ele é e não é, ao mesmo tempo. Se olhar como Deus, temos uma excepcional história. Se olhar como humano, temos outra excepcional história.

Não importa o ponto de partida da trama dele, todas são impressionantemente admiráveis.

eu poderia aqui percorrer e percorrer e percorrer todas as nuances que encontro dessa incrível persona, mas o retorno da minha coluna (depois de 3 semanas fora – se é que alguém notou ausência haha), não é o melhor lugar para isso. Este homem/deus é tão significativo pra mim, que está presente nos dois livros que escrevo/escrevi.

[o primeiro já fechado com uma das principais agentes literárias do brasil. o segundo, em processo de escrita]

minha literatura quase que sempre acaba por perpassar pela religião, tema que tanto me fascina e intriga e me desconstrói.

eu sou um crente.

de braços abertos pro que o divino tem pra me oferecer e, quase que sempre, o refúgio mais duradouro e acalentador.

não sou um pregador, nem tenho a intenção de justificar minha fé. é só entrar no literatortura ou no meu facebook: todas as causas sociais que julgo coerentes, estão em pauta e as defendo. Seja dos que não tem casa, aos homossexuais, ao direito da mulher etc.

e basicamente tudo isso porque eu olho e leio e releio a história desse cara, que hoje, vejam só, segundo a tradição cristã, RESSUSCITOU DOS MORTOS (!). é uma história fascinante, não?

esqueça todo o preconceito religioso que você possui – sendo ou não um religioso. Olhe para essa trama com os olhos literários. vislumbre a trajetória d’O Cristo renegado pelo seu próprio povo, fazedor de milagres, salvador de almas, que foi crucificado, morto e sepultado.

Mas, voltou.

É um mito (no sentido de arquétipo) tão forte, mas tão forte, que influenciou toda a literatura ocidental e também parte da oriental. O Messias. O Salvador. Aquele que se sacrifica pelos outros, que acolhe todas as dores e as leva pro túmulo, em prol de um bem maior.

Pense em quantas histórias não são semelhantes a essas, seja em maior ou menor escala.

eu tenho muita coisa pra falar sobre este homem, sobre a religião que se fundou em torno dele, sobre o universo religioso e não-religioso. Farei isso com o tempo, farei isso em meus livros, em minhas colunas e onde mais julgar interessante. Hoje, não tenho algo emocionante pra dizer, nem revolucionário ou uma visão inédita do homem que renasceu, ou da páscoa. A principal coisa que eu tenho pra dizer, foi a primeira a ser dita:

Jesus é foda.”

 

.GUSTAVO MAGNANIidealizador e administrador do site, da Revista e da página Literatortura; blogueiro por escolha própria e escritor por escolha própria também – já que nunca acreditou muito no conceito de destino. No momento, revisando o primeiro livro e tentando solidificar este incrível projeto literário/cultural que é o Literatortura.