Arquivo | maio 2014

Atitudes que esgotam sua energia

negativo

Você tem tido falhas de memória?

Acorda cansada?

O sofá a atrai irresistivelmente?

Seu magnetismo pessoal não anda lá essas coisas?

Tem sentido medo constante de que o outro a prejudique?

Quem respondeu sim a pelo menos três das perguntas acima precisa dar uma paradinha.

Provavelmente, você tem tido atitudes erradas que esgotam suas energias que, consequentemente, a impedem de atrair a harmonia e felicidade em sua vida.

Listei algumas para você ler com atenção e tentar se livrar delas. Você vai se surpreender.

– Descaso com o corpo: descanso, boa alimentação, exercícios físicos e lazer são deixados de lado.

E sua saúde energética, como fica?

– Pensamentos obsessivos: remoer um problema cansa mais do que trabalhar o dia todo;

já pensamentos positivos recarregam as energias.

– Sentimentos tóxicos: choques emocionais, raiva e mágoas sugam a energia.

Por outro lado, emoções positivas como amor e alegria recarregam a pilha e dão força para superar obstáculos.

– Fuga do presente: as pessoas tendem a achar que no passado tudo era mais fácil: “bons tempos!”, costumam dizer.

Ou então, depositam a felicidade no futuro, mas deixam pouca energia no agora.

E esquecem que só no presente construímos a vida.

– Falta de perdão: perdoar é libertar o passado e seguir em frente.

Quem não perdoa o outro e a si mesma, fica “energeticamente obesa”, carregando fardos passados.

– Mentiras: somos educados para desempenhar papéis sociais.

A moça boazinha, a vítima, a mãe dedicada… Mas só quando somos nós mesmos a vida flui sem esforço.

– Viver a vida do outro: evoluímos com os relacionamentos, mas é preciso amadurecer individualmente.

Quem cuida da vida do outro, interferindo mais do que deve, acaba sem energia para construir a própria vida.

– Ficar na bagunça: ela provoca confusão emocional e mental.

Arrume a casa, os armários, tudo!

ponha em ordem a mente e o coração!

– Fugir da natureza: o homem vive quase sem contato com ela.

E o estresse das grandes cidades favorece o vampirismo energético:

todos sugam energias de outras pessoas – e são sugados.

José Batista de Carvalho / Universo Natural
Anúncios

De repente… tudo tão simples.

Passei anos e anos de minha vida me preocupando com tudo e todos. Tinha uma família – e não era tão pequena – pra sustentar e dar conta do dia a dia. Complicava o fato de ter sido criada com conforto, abundância de tudo, preparada para fazer um casamento com um “lorde” que me supriria de todas as necessidades e mais ainda. Estudava piano pois seria uma grande pianista como era o desejo de minha mãe. Nunca aprendi a fazer um arroz que fosse. E então….. vem a vida invertendo todas as respostas a qualquer pergunta que se faça. Daí fui à luta. Se bem que sempre gostei de trabalhar (fora de casa!) e comecei muito cedo mesmo a contragosto de meu pai que ainda era do tempo que filhA trabalhar fora era vergonhoso. Como sempre fui um pouco rebelde e contra regras e disciplina, mesmo não sendo uma anarquista, consegui me realizar muito profissionalmente. Mas meus dias eram repletos e minhas horas sempre gastas com o trabalho principalmente. Lazer era algo que não me chamava muito a atenção. Lamento hoje pelas minhas filhas que acabavam por me ter muito pouco em casa e ainda hoje reclamam disso.  Agradeço de coração o empenho e boa vontade de minha mãe que cumpria o papel que deveria ser também e muito meu. Houve falhas nesta forma? Claro! Mas, como se diz, “é o que tinha pro dia”. Tiveram todos boa vida, férias gostosas, as tais roupas de marca que adolescentes adoram, frequentaram ótimos restaurantes, se instalaram em deliciosos hotéis, assistência médica de primeira linha, os melhores colégios. Enfim, tudo o que o material pode produzir e proporcionar. Amor? Sempre tudo foi feito com todo o carinho e amor do mundo. No meu conceito, proporcionar o de melhor era também uma grande forma de AMOR. E o tempo passou. Não me casei com o lorde, não fui pianista nem média, aprendi a cozinhar e muito bem (tive até rotisserie e restaurante). Fui excelente profissional como administradora gerencial, preparando perfeitos bastidores  para as “estrelas” que tive o prazer de conviver e trabalhar. E, como é inevitável, o tempo passou e passou. Até me ver hoje como uma senhora – idosa??!! – tranquila, ainda cheia de amor, em vésperas de ser bisavó (o que estou esperando acho que mais que o casal). Tive a infelicidade de ficar doente no ano passado, com um câncer no palato mole que me deixou muito triste e assustada. Mas consegui vencê-lo e o tumorzinho cicatrizou (ô glória!). Luto hoje com as sequelas da radioterapia que é um tratamento super agressivo e me perturba um bocado. Mas estou bem. Modifiquei minha alimentação por força das circunstâncias, perdi 35 quilos devido a isto (foi ótimo, pois fiquei com o corpo de solteira) e me sinto super cheia de vigor e energia.  Resumindo tudo isto, o texto que achei no facebook e que abaixo transcrevo, diz muito ou tudo o que realmente penso e sinto nesses dias que ainda são meus, tendo consciência de que tenho muito mais passado do que futuro (parodiando Rubem Alves).

E tudo fica tão simples…

 

 

de repente

 

Sorria…. viva!

Pense bem. A vida é um lapso no tempo.

V. é criança… pouco mais adolescente… logo em seguida jovem… mais um tequinho e torna-se adulto.

Luta, corre, fala em realizações, procria, caminha contra o vento, às vezes “sem lenço e sem documento”…  

num estalar de dedos e chega a maturidade,

logo seguida da tal velhice e passa a ser chamado de “terceira idade” ou idoso.

É tudo tão rápido que a gente só vai sentir que, de repente,

se olha no espelho e as rugas se instalaram,

nasceram pelos onde sempre foi liso, dores estranhas começam a doer aqui e ali….

os cabelos vão rareando sendo homem ou mulher….

Os sonhos vão ficando distantes… 

A memória vai escapando…

Daí a gente tem de parar, olhar pra trás e ver que a vida é mesmo um raio.

Então…….sorria

Hábitos e pensamentos

hábitos de pensamento

As suas inspirações passageiras, ou ideias brilhantes,

não controlam tanto a sua vida como o fazem seus hábitos mentais diários.

Bons hábitos são seus melhores amigos, preserve a força deles com estímulos de boas ações. 

Maus hábitos são seus piores inimigos, contra sua vontade eles lhe obrigam a fazer coisas que lhe machucam mais e mais.

Eles são prejudiciais a sua felicidade física, social, mental, moral e espiritual.

Deixe de nutrir os maus hábitos recusando-se a dar a eles qualquer tipo de alimento adicional de más ações.

Bons ou maus hábitos precisam de tempo para adquirirem força.

Maus hábitos poderosos poderão ser destronados pelos bons hábitos opostos se estes forem cultivados com paciência.

Um mau hábito pode ser rapidamente modificado.

Um hábito é o resultado da concentração da mente.

Você tem pensado de uma certa forma.

Para formar um novo e bom hábito basta concentrar-se na direção oposta.

Através das dificuldades das lições do dia-a-dia,

você verá claramente que os maus hábitos nutrem a árvore dos infindáveis desejos materiais,

enquanto os bons hábitos nutrem a árvore das aspirações espirituais.

Você deve concentrar os seus esforços, cada vez mais,

no desenvolvimento saudável da árvore espiritual,

para que um dia você possa colher os frutos maduros da realização do seu Eu divino.

Seja cuidadoso com o que você decidir fazer conscientemente,

pois, a não ser que sua força de vontade seja muito forte,

será isto que você terá de fazer repetida e compulsivamente

através da força influenciadora dos hábitos da mente subconsciente.

Hábitos de pensamentos são magnetos mentais que atraem para você certas coisas, pessoas e condições.

Enfraqueça um mau hábito, evitando tudo aquilo que o ocasionou ou que o estimulou, porém, sem se concentrar nele.

Dirija então sua mente para bons hábitos e, firmemente, cultive-os até que passem a fazer parte de você.

A verdadeira liberdade consiste no desempenho de todas as ações,

na alimentação, leitura, trabalho e assim por diante, de acordo com o julgamento correto

e escolha da vontade, e não compelido pelos hábitos.

Coma o que deve comer e não necessariamente o que está habituado a comer.

Faça o que deve fazer e não o que seus maus hábitos ditarem.

Você só será uma pessoa realmente livre quando conseguir descartar-se dos maus hábitos.

Você só será uma alma livre quando for um verdadeiro mestre capaz de comandar a si mesmo a fazer as coisas que devem ser feitas, mesmo sem querer fazer.

Nessa força de autocontrole está a semente da liberdade eterna.

Não continue a viver sempre do mesmo jeito antigo. 

Trabalhe a sua mente para que alguma coisa seja feita para melhorar sua vida, e então faça.

Mudar sua consciência, é tudo o que é necessário fazer.

Se você for capaz de se libertar de todos os tipos de maus hábitos 

e de fazer o bem porque quer fazer o bem

e não meramente porque o mal traz tristeza, então você está verdadeiramente progredindo espiritualmente.

Paramahansa Yogananda

 

Minha alma tem pressa

Percebo que minha jabuticabeira  já está rareando em sua produção e, de verdade,

meu passado já é muito maior do que o futuro.

Então minha alma passa a ter pressa. A cada dia mais pressa.

E Rubem Alves fala tão bem sobre isso….

 

jabuticabas

Contei meus anos e descobri

Que terei menos tempo para viver do que já tive até agora

Tenho muito mais passado do que futuro

Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de jabuticabas

As primeiras, ele chupou displicentemente

Mas, percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades

Inquieto-me com os invejosos tentando destruir quem eles admiram

Cobiçando seus lugares, talento e sorte

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas

As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos

Quero a essência… Minha alma tem pressa

Sem muitas jabuticabas na bacia

Quero viver ao lado de gente humana, muito humana

Que não foge de sua mortalidade

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.

 

Rubem Alves

 

O campo de possibilidades

espiritualidade
Somos, essencialmente, consciência pura. Consciência pura significa potencialidade pura. É o campo de todas as possibilidades e da criatividade infinita. Consciência pura é a nossa essência espiritual. Ser infinito e ilimitado é a pura satisfação. Outros atributos da conscientização são o conhecimento puro, o silêncio infinito, o equilíbrio perfeito, a invencibilidade, a simplicidade, a felicidade. Essa é a nossa natureza essencial, que é potencialidade pura.

Quando você descobre sua natureza essencial, quando sabe quem realmente é, encontra toda a sua potencialidade. É no conhecer-se que reside a capacidade de realização de todos os sonhos, porque você mesmo representa toda a possibilidade eterna, a imensurável potencialidade de tudo o que foi e poderá vir a ser. A lei da potencialidade pura também poderia ser chamada de lei da unidade, pois sob a diversidade infinita da vida encontra-se a unidade do espírito da pessoa. Não existe separação entre você e este campo de energia. O campo da potencialidade pura é o próprio Eu. E quanto mais você busca a sua verdadeira natureza – o próprio Eu – mais se aproxima do campo da potencialidade pura.

Na experiência do Eu, chamada auto-referência, nosso ponto de referência interior é o espírito e não aquilo que nos rodeia. O seu oposto é o objeto-referência, cujo ponto de referência interior é o ego. Na experiência do objeto-referência nos deixamos influenciar pelo que acontece fora da nossa natureza interior: pelas situações, circunstâncias, pessoas, coisas. Neste estado buscamos incessantemente a aprovação dos outros: nossos pensamentos e comportamentos antecipam-se a toda resposta, porque fundamentam-se no medo. No objeto-referência nossa tendência é querer controlar as coisas, ter necessidade do poder externo. Todas essas situações – necessidade de aprovação, de poder externo, de controle das coisas – estão baseadas no medo. Esse tipo de força não é a da potencialidade pura, o poder do Eu, o poder real. Se experimentamos o poder do Eu, não há medo, não há compulsão para o controle, não há esforço para obter aprovação, ou para conseguir o poder externo.

No estado do objeto-referência o ego está em primeiro lugar. Mas ele não expressa o que você realmente é. O ego reflete apenas a sua auto-imagem, a sua máscara social, o papel que você representa. Sua máscara social necessita de aprovação, de controle, de apoio no poder, porque vive com medo.

 Seu verdadeiro Eu – que é seu espírito, sua alma – está livre dessas coisas. É imune àcrítica. Não teme desafios. Não se sente inferior a ninguém. Mas também é humilde. Não se sente superior, porque reconhece que todas as pessoas representam o mesmo Eu, o mesmo espírito com diferentes faces.

 Essa é a diferença essencial entre auto-referência e objeto-referência. Na auto-referência você experimenta seu verdadeiro Eu, que não teme desafios, respeita todas as pessoas e não se sente inferior a ninguém. O autopoder é, portanto, o verdadeiro poder.

 Já o poder assentado no objeto-referência é um falso poder. Por estar fundamentado no ego, ele existe enquanto existir o objeto de referência. Se você tem muito dinheiro, ou um título, um cargo importante – presidente de um país, presidente de uma empresa -, esse poder tão apreciado desaparecerá juntamente com o dinheiro, com o título, com o cargo. O poder baseado no ego, portanto, termina quando acabam essas coisas. Assim que desaparecem – seja o título, o cargo, o dinheiro – o poder também desaparece.

 O autopoder, no entanto, é permanente, porque está fundamentado no conhecimento do Eu. O autopoder tem características próprias. Ele atrai não só as coisas que você deseja, como as pessoas que possam lhe interessar. Magnetiza as pessoas, as situações e as circunstâncias que alimentam seus sonhos, apoiando-se nas leis naturais. É também suporte da divindade que se encontra num ser em estado de graça. É tão intenso esse poder que você encontra prazer em se ligar às pessoas e elas a você. É o poder do vínculo – vínculo originado do amor verdadeiro.

Deepak Chopra

– publicado em Universo Natural / José Batista de Carvalho

Mágica conexão

atmosfera

Quando você deseja uma nova realidade, tudo à sua volta começa a desejar junto com você. Você não está sozinho em suas escolhas, toda a natureza, o mundo, as pessoas, os acontecimentos e o Universo estão dispostos a lhe ajudar a conseguir. As suas coordenadas internas irão, passo a passo, identificando, restaurando, alimentando e delineando os detalhes da sua nova realidade e tudo à sua volta vai captando cada sinal emitido por suas escolhas. De repente, é como se o mundo inteiro, soubesse o que você quer. É daí que surge o processo da sincronicidade que muito se assemelha a uma coincidência milagrosa. Através desta sincronia você perceberá que os acontecimentos e as pessoas, conhecidas ou não, conspiram para que o seu desejo seja realizado. Assim como você conspira, mesmo que inconscientemente, para que a realidade desejada de qualquer ser humano possa ser realizada. E você perceberá, cada vez mais, uma conexão mágica se engajando aos seus propósitos.

Cada um de nós, seres vivos ou não, é um receptor e emissor de energia e informação. Enviamos mensagens o tempo inteiro e por isso a sua vibração combina com o tipo de mensagem que está enviando às pessoas e aos acontecimentos.

Estas pistas indicam a maneira como a vida reage a você. Seus amigos, familiares e desconhecidos se conectam a você determinados pelos sinais que a sua vibração está emitindo. Tudo o que você sente, pensa, crê e deseja é percebido pelo ambiente a sua volta. Você é como um sistema elétrico pulsante que envia vibrações ao mundo o tempo inteiro. Quer você perceba isso ou não, a sua energia pessoal está ressoando ininterruptamente.

Se você quer mudar a realidade atual da sua vida, terá que administrar os sinais que você está fabricando em seu mundo interior. Estes sinais devem combinar com a sua nova realidade. Por isso uma mudança externa é sempre fruto inexorável de uma força motriz movida pelo seu mundo interior. Se você diz: quero que tudo mude!

Então está dando o primeiro passo para que o seu ser se mova em busca de mudançasinternas. Você muda quando para de focar os problemas que está vivendo e passa a dar atenção às soluções.

 

V. Weyrich

José Batista de Carvalho / Universo Natural