Arquivo de Tag | encontro

A criança que fui

a criança que fui

Anúncios

Um homem e uma mulher

Este texto foi publicado pelo querido amigo Edson Marques em sua página do Facebook. Não faz parte de seus escritos, mas sei que ele concorda muito com o que está registrado. E eu me encantei com o que li, pois acho realmente que ter alguém só por ter ou pra ter, nunca valerá a pena.  Tem que haver uma real diferença para se concordar em estar e ficar. E isto eu considero para as pessoas no geral, independente da idade. Da adolescência à maturidade. SK

Mulher x Homem

Quero explodir!

Pintar, escrever, falar, fazer algo que me transmita.

Criar, procriar, gritar, fazer algo que eu sinta.

Muito dentro de mim, debatendo-se como prestes a nascer,

não sei o que é.

Não sei como sou, do que sou, não sei como me vêem,

olho todos sem entender.

Se corro não chego, se paro não vou.

Tenho um encontro comigo no tempo.

Algo há de romper, abalar e crescer.

Vou explodir ou implodir, bem sei.

Algo restará dos cacos ou as migalhas serão um todo.

Oxigênio só não me integra e completa.

Não sei viver como todos e sei que algo tem em mim.

Sou um ponto no tempo, um tempo de angústia, um tempo vazio.

Preciso ser! Preciso explodir!

Um velho um dia me disse: Al Maktub

e guardei comigo para a explosão.

Buscaram em mim a menina, fizeram de mim a mulher.

Falaram de amor comigo, fizeram-se sonhar.

Buscaram a carne em mim, chamaram-me Electra.

Busquei a infância perdida, encontrei falsidade.

Falei de estrelas e vida, chamaram-me tola.

Quiz então a carne, disseram-me volúvel.

Tentei procriar, creram-me irresponsável.

Quero explodir – riem.

Quem são, o que são, de que são feitos, pra onde vão?

Fazer o feijão, suar o rosto, brigar, lutar, invejar, subir,

sem ao menos se descobrirem.

Um dia o pó virá e cobrirá  seus corpos mutilados.

Cada ruga será cova profunda e ficará a lembrança e a saudade.

Mais algum tempo passará e nem nos mais próximos restará algo.

São os que esquecem de explodir ou nem sabem da explosão.

Sei que sou porque vim. Mas vir pra não ser é inexistir.

Algo existe para que eu faça e cumpra. Preciso explodir!

Cada dia mais me exalto com os cordiais: bom dia, boa tarde, prazer, até logo,

olá!, alô!, tudo bem?

É vazio e falso demais.

Nem tão lindo o dia – tenho sono.

Nem tão boa a tarde – estou cansada.

Nenhum prazer – nem o conheço.

Até logo – posso morrer em seguida.

Alô… olá – composição de letras e sons

Como podem estar bem se o ar é poluído, a água impura, o dinheiro é curto,

as necessidades aumentam, existe miséria e mentiras?

Sou pequena e frágil, repleta de medos absurdos.

Chego a ser infantil. Por vezes minha sombra me assusta.

Só preciso explodir dentro do mundo, desse mundo em que vivo, onde dizem que existo.

Senão serei só passante, cova eterna dos detritos.

SK/71

Nem tudo é fácil

Tem escritos que se lê e parecem que foram feitos pra gente ou até que foram escritos por nós em um momento de muita inspiração e reflexão. Este poema de Cecília Meireles, por exemplo, me tocou profundamente. Registro aqui exatamente por isso. Quantas vezes deixamos a felicidade passar só por uma falta de determinação ou coragem momentânea. Nada é fácil e se o é acaba por não ter o devido valor. 

“É difícil fazer alguém feliz,

Assim como é fácil fazer triste.

 

É difícil dizer eu te amo,

assim como é fácil não dizer nada.

 

É difícil valorizar um amor,

Assim como é fácil perdê-lo para sempre.

 

É difícil agradecer pelo dia de hoje,

Assim como é fácil viver mais um dia.

 

É difícil enxergar o que a vida traz de bom,

Assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.

 

É difícil se convencer de que se é feliz,

Assim como é fácil achar que sempre falta algo.

 

É difícil fazer alguém sorrir,

Assim como é fácil fazer chorar.

 

É difícil colocar-se no lugar de alguém,

Assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.

 

Se você errou, peça desculpas…

É difícil pedir perdão?

Mas quem disse que é fácil ser perdoado?

 

Se alguém errou com você, perdoa-o…

É difícil perdoar?

Mas quem disse que é fácil se arrepender?

 

Se você sente algo, diga…

É difícil se abrir?

Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queria escutar?

 

Se alguém reclama de você, ouça…

É difícil ouvir certas coisas?

Mas quem disse que é fácil ouvir você?

 

Se alguém te ama, ame-o…

É difícil entregar-se?

Mas quem disse que é fácil ser feliz?”