Arquivo de Tag | felicidade

Feliz x infeliz

Difícil, mas não custa parar, pensar e tentar.

girassol

 

Existem dois tipos de pessoas no mundo: aquelas que escolhem ser felizes e aquelas que optam por ser infelizes. Ao contrário da crença popular, a felicidade não vem da fama, da fortuna ou de bens materiais. Ela vem de dentro. A pessoa mais rica do mundo pode estar miseravelmente infeliz, enquanto um sem-teto pode estar sorrindo e contente com a sua vida. As pessoas felizes o são porque se fazem felizes. Elas têm uma visão positiva da vida e permanecem em paz com elas mesmas. 

A questão é: como elas fazem isso?
É muito simples. As pessoas felizes têm hábitos que melhoram suas vidas e se comportam de maneira diferente. Pergunte a uma pessoa feliz e ela vai dizer:
1. Não guarde rancor.

As pessoas felizes entendem que é melhor perdoar e esquecer que deixar que sentimentos negativos as dominem. Guardar rancor é prejudicial e pode causar depressão, ansiedade e estresse. Por que deixar que uma ofensa de alguém exerça algum poder sobre você? Se você esquecer os seus rancores, vai ganhar uma consciência clara e energia suficiente para apreciar as coisas boas da vida.
2. Trate a todos com bondade.
Você sabia que foi cientificamente provado que ser gentil faz você feliz? Ser altruísta faz seu cérebro produzir serotonina, um hormônio que diminui a tensão e eleva o seu espírito. Tratar as pessoas com amor, dignidade e respeito permite que você construa relacionamentos mais fortes.
3. Veja os problemas como desafios.
A palavra “problema” não faz parte do vocabulário de uma pessoa feliz. Um problema, na maioria das vezes, é visto como uma desvantagem, uma luta ou uma situação difícil. Mas quando encarado como um desafio, pode se transformar em algo positivo, como uma oportunidade. Sempre que você enfrentar um obstáculo, pense-o um desafio.
4. Expresse gratidão pelo que já tem.
Há um ditado popular que diz: “As pessoas mais felizes não têm o melhor de tudo, elas fazem o melhor de tudo com o que elas têm”. Você terá um sentido mais profundo de contentamento se contar suas bênçãos em vez de ansiar pelo que você não tem.
5. Sonhe grande.
As pessoas que têm o hábito de sonhar grande são mais propensas a realizar seus objetivos que aquelas que não o fazem. Se você se atreve a sonhar grande, sua mente vai assumir uma atitude focada e positiva.
6. Não se preocupe com as pequenas coisas.
As pessoas felizes se perguntam: “Será que este problema terá a mesma importância daqui a um ano?” Elas entendem que a vida é muito curta para se preocupar com situações triviais. Deixar os problemas rolarem à sua volta vai, definitivamente, deixar você à vontade para desfrutar de coisas mais importantes.
7. Fale bem dos outros.
Ser bom é melhor que ser mau. Fofocar pode até ser divertido, mas, geralmente, deixa você se sentindo culpado e ressentido. Dizer coisas agradáveis sobre as pessoas leva você a pensar positivo e a não se preocupar em julgá-las.

  1. Não procure culpados.
    Pessoas felizes não culpam os outros por seus próprios fracassos. Em vez disso, elas assumem seus erros e, ao fazê-lo, mudar para melhor.
    9. Viva o presente.
    Pessoas felizes não vivem do passado ou se preocupam com o futuro. Elas saboreiam o presente. Envolvem-se em tudo o que está fazendo no momento. Param e cheiram as rosas.
    10. Acorde no mesmo horário todos os dias.
    Você já reparou que muitas pessoas bem-sucedidas tendem a ser madrugadores? Acordar no mesmo horário estabiliza o seu metabolismo, aumenta a produtividade e nos coloca em um estado calmo e centrado.
    11. Não se compare aos outros.
    Todos têm seu próprio ritmo. Então, por que se comparar aos outros? Pensar ser melhor que outra pessoa leva a um sentimento de superioridade não muito saudável e, se pensar o contrário, acabará se sentindo inferior. Então, concentre-se em seu próprio progresso.
    12. Escolha seus amigos sabiamente.
    A miséria adora companhia. Por isso, é importante cercar-se de pessoas otimistas que vão incentivá-lo a atingir seus objetivos. Quanto mais energia positiva em torno de você, melhor vai se sentir.
    13. Não busque a aprovação dos outros.
    As pessoas felizes não importam com o que os outros pensam delas. Seguem seus próprios corações, sem deixar os pessimistas desencorajá-los, e entendem que é impossível agradar a todos. Escute o que as pessoas têm a dizer, mas nunca busque a aprovação de ninguém.
    14. Aproveite seu tempo para ouvir.
    Fale menos, ouça mais. Escutar mantém a mente aberta. Quanto mais você ouve, mais conteúdo você absorve.
    15. Cultive relacionamentos sociais.
    Uma pessoa só é uma pessoa infeliz. Pessoas felizes entendem o quão importante é ter relações fortes e saudáveis. Sempre tenha tempo para encontrar e falar com sua família e amigos.
    16. Medite.
    Ficar no silêncio ajuda você a encontrar sua paz interior. Você não tem que ser um mestre zen para alcançar a meditação. As pessoas felizes sabem como silenciar suas mentes, em qualquer hora e lugar, para se acalmar.
    17. Coma bem.
    Tudo o que você come afeta diretamente a capacidade de seu corpo produzir hormônios, o que vai definir seu humor, energia e enfoque mental. Certifique-se de comer alimentos que vão manter seu corpo saudável e em boa forma e sua mente mais tranquila.
    18. Faça exercícios.
    Estudos têm mostrado que o exercício aumenta os níveis de felicidade e autoestima e produz a sensação de autorrealização.
    19. Viva com o que é realmente importante.
    As pessoas felizes mantêm poucas coisas ao seu redor porque elas sabem que excessos as deixam sobrecarregadas e estressadas. Estudos concluíram que os europeus são muito mais felizes que os americanos, porque eles vivem em casas menores, dirigem carros mais simples e possuem menos itens.
    20. Diga a verdade.
    Mentir corrói a sua autoestima e o torna antipático. A verdade sempre liberta. Ser honesto melhora sua saúde mental e faz com que os outros tenham mais confiança em você. Seja sempre verdadeiro e nunca se desculpe por isso.
    21. Estabeleça o controle pessoal.
    As pessoas felizes têm a capacidade de escolher seus próprios destinos. Elas não deixam os outros dizerem como devem viver suas vidas. Estar no controle completo de sua própria vida traz sentimentos positivos e aumenta a autoestima.
    22. Aceite o que não pode ser alterado.
    Depois de aceitar o fato de que a vida não é justa, você vai estar mais em paz com você mesmo. Portanto, concentre-se apenas no que você pode controlar e mudar para melhor.
    Essa é uma tradução do texto da Chiara Fucarino.
    Texto original: http://successify.net/2012/10/31/22-things-happy-people-do-differently/

 

10 Conselhos pra ser feliz

Eu tinha este texto guardado já faz algum tempo.

Não sei exatamente de onde o copiei, mas acho válido como procura da tal felicidade.

felicidade

A vida está feita para ser experimentada com alegria. Frequentemente acreditamos que não merecemos ter uma boa vida e sermos felizes. Entretanto, a felicidade é uma escolha. Não é algo que nos acontece sem que tenhamos nenhuma decisão nem influência.

Para poder alcançar a felicidade, deve haver um reconhecimento de que o que pensamos e fazemos influencia sobre esta condição, e modificar todas as ações e pensamentos que estejam contra a nossa própria felicidade. Daremos 10 dicas para você se sentir mais feliz, as quais podem ser úteis para melhorar sua vida.

1. Prazer

Encontre prazer aonde quer que você vá, sendo as circunstâncias negativas ou positivas, crie prazer. Comece e termine com agradar a você mesmo. Seja um receptor mais ágil de todo o prazer que esta vida tem para te oferecer.

2. Brinque

Pense em um pátio de recreio, onde o som da risada se pode escutar. Busque a alegria com os demais, faça com que eles participem da brincadeira. Inclusive se se trata de piscar os olhos, oferecer amavelmente um elogio ou fazer com que seus filhos se sujem no barro… Brinque!!!!

3. Esqueça o drama

Não faça um drama de tudo o que acontece na vida. Pare de colocar a atenção em tudo o que é ruim, do que pode te compadecer ou conseguir simpatia. Deixe também de dar tanto aos demais, no lugar de dar a você mesmo. Antes de mais nada, preencha seus próprios vazios. Deixe de ler todo o drama dos meios de comunicação que não tem nada a ver com você. Não há nada mais que possa te ajudar com o drama, do que detê-lo. O drama baseado no medo não traz a felicidade.

4. Encontre a tranquilidade

Sente-se para absorver a tranquilidade. No começo você pode se sentir incomodado, mas quanto mais faz, mais se conecta com você mesmo. E, quanto mais conectado esteja, menos necessitado (a) se sentirá, porque a tranquilidade que pode te dar a paz que se almeja, é vital para alcançar a felicidade.

5. Aceite-se assim como você é

Aceitar a si mesmo é a chave principal para alcançar a felicidade. Quando a pessoa realmente consegue que todos os seus defeitos sejam um presente, faz com que alcançar a felicidade seja mais fácil. A autoaceitação conduz a uma felicidade que muitas pessoas nunca chegam a experimentar. Se aceitar tal e como é também é um passo crucial para amar as outras pessoas, porque se você não quer a você mesmo é impossível querer a outro.

6. Deixe de sair em busca de aprovação

Ninguém tem que aprovar ou validar o que você faz ou como faz as coisas. A felicidade vem da busca de sua paixão ou sentimento de felicidade interior. É a partir desse lugar – no seu interior – que você começa a entender o que te agrada e o que muitas vezes te bloqueia é buscar a aprovação dos demais. Muitas pessoas vivem sua vida sobre a base de outras e nunca experimentam a verdadeira felicidade.

7. Não bloqueie a dor

Quando se detém ou se evita a dor, também se evita a felicidade. Todas as quantidades de emoção devem ser iguais em sua totalidade. Se você bloqueia uma emoção, bloqueia todas as emoções, por isso, a experiência é apagada ou inclusive deprimente… Não se esconda da dor, permita-se senti-la.

8. Você é digno de ser feliz, Acredite!

Às vezes as pessoas apenas estão esperando outra desgraça. Se preocupam por ser muito felizes, porque acreditam que os duendes da miséria logo se lembrarão de sua má sorte na vida. Se você é uma dessas pessoas que tem fobia da felicidade, como se tivesse que lutar contra os titãs e o sofrimento na vida antes de se considerar digno de ser feliz, lembre-se que você é digno agora, agora mesmo. Tal como você é!

9. Seja uma pessoa ativa

Literalmente, faça algo físico. Cuide do jardim, faça exercício, quer dizer, faça algo que te estimule fisicamente. O prazer e a felicidade abundam quando você está comprometido fisicamente. Se você já está fazendo exercícios, é um bom momento para se desfazer de algumas velhas crenças sobre a felicidade, essas que te fazem voltar a sentir deprimido e/ou arrependido. Ganhe clareza, purifique estes maus pensamentos e comece a se mexer.

10. Esqueça o resultado

O apego para que as coisas tenham que ser de determinada maneira ou esperar o momento em que chegue a ser feliz, pode impedir que você alcance a sua felicidade. Você pode sentir que seu momento atual deve ditar seu nível de felicidade. Você pode pensar que precisa conquistar o destino, alcançar a meta para merecer a felicidade. Nunca se chega ao destino quando se está esperando ser feliz. Continua sendo difícil de alcançar. A felicidade não é uma meta, é o caminho ao resultado. O stress e a decepção se baseiam nas expectativas, revise quantas delas são realistas e quais não são, se pergunte por que você se apega a elas. Assim, você se permitirá ser feliz.

 

Memória de sua casa

morada 

O padrão vibratório de uma casa tem relação direta com a energia e o estado de espírito de seus moradores. Tudo o que pensamos e fazemos, as escolhas, os sentimentos, sejam bons ou ruins, são energias. O resultado reflete nos ambientes, pessoas e situações.

O corpo é nossa primeira morada e nossa casa, sua extensão. É ela que nos acolhe, protege e guarda nossa história. Da mesma forma que limpamos, nutrimos e cuidamos da vibração de nosso corpo, devemos estender esses cuidados e carinhos ao lar. Mais que escolher o imóvel e enfeitá-lo com móveis e objetos – muitas vezes guiados apenas por modismos ou pura praticidade -, a elaboração da atmosfera de um ambiente é importante porque reflete a personalidade de seu dono, dando pistas sobre seus gostos, estilo de vida, história e sonhos.

 

Há quem acredite que, colocando cristais, sinos de vento, fontes, espelhos, instrumentos do feng shui, é possível atrair bons fluídos e equilíbrio para dentro de casa. Mas, é muito pouco, pois a personalidade de um ambiente vai além. Ela é conseguida dia após dia, não apenas com técnicas, mas com pequenos atos de carinho e com muita energia boa.

Além de atrair bons fluídos para nosso lar, temos todas as condições de criá-los no interior do próprio ambiente. O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores fica impregnado no ambiente, criando o que se chama de egrégora.

Você, com certeza, já esteve em uma residência ou ambiente onde sentiu um profundo bem-estar e sensação de acolhimento, independe da beleza, luxo ou qualquer outro fator externo. Essa atmosfera gostosa, sem dúvida, era dada principalmente pelo estado de espírito positivo de seus moradores.

Infelizmente, hoje em dia, é muito mais corriqueiro entrarmos em ambientes que nos oprimem ou nos dão a sensação de falta de paz e, às vezes, até de sujeira, mesmo que a casa esteja limpa. A vontade é ir embora rapidamente, ainda que sejamos bem tratados.

O que poucos sabem é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de seus moradores. Por isso, quando pensar na saúde energética de sua casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé. Evite brigas e discussões desnecessárias. Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão. Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de seus objetos e entes queridos com carinho.

 casa no campo

Não pense mal dos outros. Pragas, nem pensar! Selecione muito bem as pessoas que vão frequentar sua casa. Festas, brindes e comemorações alegres são bem-vindas porque trazem alegria e muita energia, mas cuidado com os excessos. Nada de bebedeiras e muito menos uso de drogas, que atraem más energias.

Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda para limpar essas energias densas de seu coração. Lembre-se que sua casa também pode estar contaminada.

Aprenda a fazer escolhas e determine o que quer para sua vida e ambiente onde mora. Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo?
Reflita sobre como você vive em sua casa, no que pensa, como anda seu humor e reclamações do seu dia-a-dia. Tudo isto interfere no seu astral.

“Compartilhar e-mails com mensagens positivas é colaborar com a disseminação da luz, abrindo corações, despertando consciências, contribuindo assim, para a transformação planetária.

Por Franco Guizzetti

Êxtase

silêncio

Tome consciência do êxtase

“A mente em geral está consciente da dor, mas nunca do êxtase. Se você tem dor de cabeça, está consciente dela. Se não tem dor de cabeça, não se dá conta do bem-estar. Quando o corpo dói, fica consciente dele, mas, quando o corpo está perfeitamente saudável, você não tem consciência da sua saúde.

Essa é a causa básica que faz com que você se sinta tão infeliz: toda a nossa consciência está concentrada na dor. Nós só contamos os espinhos – nunca olhamos para as flores. De algum modo, escolhemos os espinhos e ignoramos as flores. Por uma razão biológica, a natureza fez com que você tivesse consciência da dor para poder evitá-la. De outro modo, sua mão podia ser queimada sem que notasse, seria difícil sobreviver. A natureza, no entanto, não tem qualquer sistema para deixá-lo consciente do prazer, da alegria, da bem-aventurança. Isso tem que ser aprendido, tem que ser praticado. Trata-se de uma arte.

Deste momento em diante, procure ficar consciente das coisas que não são naturais. Por exemplo, seu corpo está saudável: sente-se silenciosamente e tome consciência dele. Sinta o bem-estar. Não há nada de errado com você – aproveite! Faça um esforço deliberado para ter percepção disso. Você se alimentou bem e o seu corpo está satisfeito, saciado: tome consciência disso.

Quando você está com fome, a natureza o deixa consciente disso, mas não tem um sistema para deixá-lo consciente quando está saciado, é algo que tem de ser desenvolvido. A natureza precisa aprimorar essa capacidade porque a sobrevivência é tudo o que tem em vista – qualquer coisa além disso é luxo. A felicidade é um luxo, o maior luxo que existe.

Observo que é isso que faz com que as pessoas sejam tão infelizes – na verdade, não são tão infelizes quanto parecem. Têm muitos momentos de grande alegria, mas esses momentos passam em branco, pois elas nunca tomam consciência deles. A memória das pessoas está sempre cheia de dor e de feridas. A mente, sempre cheia de pesadelos. Num período de 24 horas acontecem milhares de coisas pelas quais você daria graças a Deus, mas sequer se dá conta delas!

Você precisa começar a fazer isso a partir de agora. Ficará surpreso ao ver que a alegria aumentará dia após dia, enquanto a dor e a tristeza diminuirão proporcionalmente, até chegar o dia em que a vida será quase uma celebração. A dor só surgirá de vez em quando e fará parte do jogo. Você não ficará abalado nem perturbado, apenas aceitará.

Se você aprecia a sensação de saciedade que surge depois que come, sabe que a fome provoca uma leve dor… e isso é bom. Se teve uma boa noite de sono e pela manhã se sentiu vivo e revigorado, sabe que, se passar uma noite sem dormir, sentirá um leve mal-estar, mas isso também faz parte do jogo.

Sei por experiência própria que a vida consiste em 99% de alegria e 1% de dor. Contudo, a vida das pessoas consiste em 99% de dor e 1% de alegria – está tudo invertido.

Fique cada vez mais consciente do prazer, da felicidade, do positivo, das flores, dos pequenos raios de sol em meio às nuvens negras.”

Osho, em “Corpo e Mente em Equilíbrio”

13 bons conselhos

coruja lendoInúmeros artigos, particularmente voltados a empreendedores,

falam sobre as características críticas das pessoas mentalmente fortes, como tenacidade,

otimismo e uma capacidade de superar obstáculos.

No entanto, também podemos definir força mental identificando

as coisas que indivíduos mentalmente fortes não fazem.

Confira alguns desses itens na lista compilada pela psicoterapeuta e assistente social Amy Morin:

1. Perder tempo sentindo pena de si mesmas

Você não vê pessoas mentalmente fortes sentindo pena de si mesmas ou suas circunstâncias. Elas aprenderam a assumir a responsabilidade por suas ações e resultados, e têm uma compreensão inerente de que muitas vezes a vida não é justa. Elas são capazes de emergir de uma situação difícil com consciência e gratidão pelas lições aprendidas. Quando uma ocasião acaba mal para elas, pessoas fortes simplesmente seguem em frente.

2. Ser controladas ou subjugadas

Pessoas mentalmente fortes evitam dar aos outros o poder de fazê-los sentir-se inferiores ou ruins. Elas entendem que estão no controle de suas ações e emoções. Elas sabem que a sua força está na sua capacidade de reagir de maneira adequada.

3. Fugir de mudanças

Pessoas mentalmente fortes aceitam e abraçam a mudança. Seu maior “medo”, se tiverem um, não é do desconhecido, mas de tornarem-se complacentes e estagnadas. Um ambiente de mudança e incerteza pode energizar uma pessoa mentalmente forte e estimular o seu melhor lado.

4. Gastar energia em coisas que não podem controlar

Pessoas mentalmente fortes não reclamam (muito) do tráfego, da bagagem perdida e especialmente das outras pessoas, pois reconhecem que todos esses fatores estão, geralmente, fora do seu controle. Em uma situação ruim, elas reconhecem que a única coisa que sempre podem controlar é a sua própria resposta e atitude.

5. Preocupar-se em agradar os outros

É impossível agradar a todos. Pior ainda é quem se esforça para desagradar outros como forma de reforçar uma imagem de força. Nenhuma dessas posições é boa. Uma pessoa mentalmente forte se esforça para ser gentil e justa e para agradar aos outros quando necessário, mas não tem medo de dar sua opinião ou apoiar o que acha certo. Elas são capazes de suportar a possibilidade de que alguém vai ficar chateado com elas, e passam por essa situação, sempre que possível, com graça e elegância.

6. Ter medo de assumir riscos calculados

Uma pessoa mentalmente forte está disposta a assumir riscos calculados. Isso é uma coisa completamente diferente do que pular de cabeça em situações obviamente tolas. Mas com a força mental, o indivíduo pode pesar os riscos e benefícios completamente, e avaliar plenamente as potenciais desvantagens e até mesmo os piores cenários antes de tomar uma atitude.

7. Saudosismo frequente

Há força em reconhecer o passado e, sobretudo, as coisas aprendidas com as experiências passadas, mas uma pessoa mentalmente forte é capaz de evitar se afundar em decepções antigas ou fantasias dos “dias de glória” de outrora. Elas investem a maior parte de sua energia na criação de um presente e futuro melhores.

8. Cometer os mesmos erros repetidamente

Não adianta realizarmos as mesmas ações repetidas vezes esperando um resultado diferente e melhor do que o que já recebemos. Uma pessoa mentalmente forte assume total responsabilidade por seu comportamento passado e está disposta a aprender com os erros. Pesquisas sugerem que a capacidade de ser autorreflexivo de forma precisa e produtiva é uma das maiores características de executivos e empresários bem-sucedidos.

9. Ressentir o sucesso dos outros

É preciso ter força de caráter para sentir alegria genuína pelo sucesso de outras pessoas. Pessoas mentalmente fortes têm essa capacidade. Elas não ficam com ciúmes ou ressentidas quando outros alcançam sucesso (embora possam tomar nota do que o indivíduo fez bem). Elas estão dispostos a trabalhar duro por suas próprias chances de sucesso, sem depender de atalhos.

10. Desistir depois de falhar

Cada fracasso é uma oportunidade para melhorar. Mesmo os maiores empresários estão dispostos a admitir que seus esforços iniciais invariavelmente trouxeram muitas falhas. Pessoas mentalmente fortes estão dispostas a falhar de novo e de novo, se necessário, desde que cada “fracasso” os traga mais perto de seus objetivos finais.

11. Ter medo de passar tempo sozinho

Pessoas mentalmente fortes apreciam e até mesmo valorizam o tempo que passam sozinhas. Elas usam esse tempo de inatividade para refletir, planejar e ser produtivas. Mais importante, elas não dependem de outros para reforçar a sua felicidade e humor. Elas podem ser felizes com os outros, bem como sozinhas.

12. Sentir que o mundo lhes deve algo

Na economia atual, executivos e funcionários de todos os níveis estão ganhando a percepção de que o mundo não lhes deve um salário, um pacote de benefícios e uma vida confortável, independentemente da sua preparação e escolaridade. Pessoas mentalmente fortes entram no mercado preparadas para trabalhar e ter sucesso de acordo com seu mérito, ao invés de já chegar com uma lista de coisas que deveriam receber de mão beijada.

13. Esperar resultados imediatos

Quer se trate de um treino, um regime nutricional ou de começar um negócio, as pessoas mentalmente fortes entram nas situações pensando a longo prazo. Elas sabem que não devem esperar resultados imediatos. Elas aplicam sua energia e tempo em doses e celebram cada etapa e aumento de sucesso no caminho. Elas têm “poder de permanência” e entendem que as mudanças genuínas levam tempo.

E aí? Você tem força mental? Existem elementos nesta lista que você precisa melhorar? [Forbes]

  Publicado pela jornalista Natasha Romanzoti

No tempo da minha infância – (Ismael Gaião)



brincadeiras de crianças

No tempo da minha infância
Nossa vida era normal.
Nunca me foi proibido
Comer muito açúcar ou sal.
Hoje tudo é diferente,
Sempre alguém ensina a gente
Que comer tudo faz mal!

Bebi leite ao natural,
Da minha vaca Quitéria
E nunca fiquei de cama
Com uma doença séria!
As crianças de hoje em dia
Não bebem como eu bebia
Pra não pegar bactéria…

A barriga da miséria
Tirei com tranquilidade,
Do pão com manteiga e queijo
Hoje só resta a saudade.
A vida ficou sem graça,
Não se pode comer massa
Por causa da obesidade.

Eu comi ovo à vontade,
Sem ter contra-indicação,
Pois o tal colesterol,
Pra mim, nunca foi vilão…
Hoje a vida é uma loucura!
Dizem que qualquer gordura
Nos mata do coração…

Com a modernização,
Quase tudo é proibido,
Pois sempre tem uma Lei
Que nos deixa reprimido…
Fazendo tudo o que eu fiz,
Hoje me sinto feliz,
Só por ter sobrevivido…

Eu nunca fui impedido
De poder me divertir,
E nas casas dos amigos
Eu entrava sem pedir…
Não se temia a galera
E naquele tempo era
Proibido proibir.

Vi o meu pai dirigir,
Numa total confiança,
Sem apoio, sem air-bag,
Sem cinto de segurança…
E eu, no banco de trás,
Solto, igualzinho aos demais,
Fazia a maior festança!

No meu tempo de criança,
Por ter sido reprovado
Ninguém ia ao psicólogo,
Nem se ficava frustrado.
Quando isso acontecia,
A gente só repetia…
Até que fosse aprovado.

Não tinha superdotado,
Nem a tal dislexia…
E a hiperatividade
É coisa que não se via.
Falta de concentração
Se curava com carão
E disso ninguém morria.

Nesse tempo se bebia
Água vinda da torneira,
De uma fonte natural,
Ou até de uma mangueira…
E essa água engarrafada
Que diz-se esterilizada
Nunca entrou na nossa feira.

Para a gente era besteira
Ter perna ou braço engessado,
Ter alguns dentes partidos,
Ou um joelho arranhado…
Papai guardava veneno
Em um armário pequeno
Sem chave e sem cadeado.

Nunca fui envenenado
Com as tintas dos brinquedos,
Remédios e detergentes
Se guardavam, sem segredos.
E descalço, na areia
Eu joguei bola de meia
Rasgando as pontas dos dedos.

Aboli todos os medos
Apostando umas carreiras
Em carros de rolimã,
Sem usar cotoveleiras…
Pra correr de bicicleta
Nunca usei, feito um atleta,
Capacete e joelheiras.

Entre outras brincadeiras
Brinquei de Carrinho de Mão
Estátua, Jogo da Velha,
Bola de Gude e Pião,
De mocinhos e Cowboys
E até de super-heróis
Que vi na televisão.

Eu cantei Cai-Cai Balão,
Palma é palma, Pé é pé,
Gata Pintada, Nesta Rua,
Pai Francisco e De Marré.
Também cantei Tororó,
Brinquei de Escravos de Jó
E do Sapo não lava o pé.

Com anzol e jereré
Muitas vezes fui pescar
E só saía do rio
Pra ir pra casa jantar.
Peixe nenhum eu pagava,
Mas os banhos que eu tomava
Dão prazer em recordar.

Tomava banho de mar
Na estação do verão,
Quando papai nos levava
Em cima de um caminhão.
Não voltava bronzeado,
Mas com o corpo queimado,
Parecendo um camarão.

Sem ter tanta evolução
O Playstation não havia,
E nenhum jogo de vídeo
Naquele tempo existia.
Não tinha vídeo-cassete,
Muito menos internet,
Como se tem hoje em dia.

O meu cachorro comia
O resto do nosso almoço…
Não existia ração,
Nem brinquedo feito osso.
E para as pulgas matar
Nunca vi ninguém botar
Um colar no seu pescoço.

E ele achava um colosso
Tomar banho de mangueira,
Ou numa água bem fria,
Debaixo duma torneira.
E a gente fazia farra
Usando sabão em barra
Pra tirar sua sujeira.

Fui feliz a vida inteira
Sem usar um celular.
De manhã ia pra aula,
Mas voltava pra almoçar.
Mamãe não se preocupava,
Pois sabia que eu chegava
Sem precisar avisar.

Comecei a trabalhar
Com oito anos de idade,
Pois o meu pai me mostrava
Que pra ter dignidade
O trabalho era importante,
Pra não me ver adiante
Ir pra marginalidade.

Mas hoje, a sociedade
Essa visão não alcança
E proíbe qualquer pai
Dar trabalho a uma criança.
Prefere ver nossos filhos
Vivendo fora dos trilhos,
Num mundo sem esperança.

A vida era bem mais mansa,
Com um pouco de insensatez.
Eu me lembro com detalhes
De tudo o que a gente fez,
Por isso tenho saudade
E hoje sinto vontade
De ser criança outra vez…

Felicidade esquisita

coruja gênio

Nada melhor do que um feriado no meio da semana. Um feriado inesperado, que não dê para espichar com o fim de semana. Um feriado tão bobo que te pega de surpresa: você acorda e não tem nada para fazer – ah, não dá nem para acreditar. O comércio está fechado e, que bom, não vai dar para “aproveitar” e tratar de tudo aquilo que anda tão atrasado. A cidade está morta e ficar em casa sem nada para fazer pode ser uma bênção. E, por favor, se dê essa trégua: nesse dia, nada, rigorosamente nada.

Mas, mesmo quando não se faz nada, se faz alguma coisa. Ler é uma delícia, mas periga excitar os neurônios, e ouvir música… Bem, a não ser que você pertença ao grupo dos altíssimos apreciadores, ouvir música sozinha vai depender de que tipo. Nada exige mais coragem do que escutar um disco novo, e os que a gente já conhece trazem sempre uma recordação, seja ela de que espécie for. Se for uma má recordação, é um desastre e, se for uma boa, é outro desastre. Não tem coisa pior do que sentir saudade de tempos que “no vuelven más”, como diz o tango – e tem gente que não faz outra coisa. Mas não é o caso aqui.

Que tal inventar uma boa coisa para comer? Ir para a cozinha às vezes é ótimo. E saber cozinhar dá uma sensação de independência e modernidade – desde que a receita não seja muito complicada. Mas, apesar de todos os programas de TV ensinando, o problema é a compra dos ingredientes. As receitas mais fáceis precisam de uns 20 – e quem vai comprar? Que tal, então, umas rabanadas?Com um cálice de vinho do Porto, não tem melhor. Pão, todo mundo tem em casa. Leite, ovos, açúcar e canela também. Acontece que na despensa e na geladeira de uma mulher moderna não tem nada disso. E fazer fritura em casa nem pensar. E rabanada não é coisa que se coma sozinha; é preciso gente em volta, crianças, presentes desembrulhados, uma certa zoeira para combinar. Ficamos, então, só com o vinho do Porto, e pronto.

O tempo está passando e, às 2h15, o silêncio na casa é total. Quem sabe a televisão? Não, ver TV à tarde é demais. Os jornais já foram lidos – mal lidos, é verdade – e a cabeça não quer nem ouvir falar de inflação. A família, se não apareceu, é porque está bem. Será mesmo possível que vai dar para passar um dia inteiro calma, sem lembrar – ou inventar – uma só coisa pra esquentar a cabeça? Tudo indica que sim, o que é tão inédito que já é uma bela razão para começar a se preocupar.Mas não; hoje, não.

O telefone não toca, os eletroeletrônicos estão funcionando, não é preciso abrir a agenda para anotar que amanhã vai tomar tal e tal providência. Que coisa estranha! O mundo está silencioso, parado, sem uma só dor, uma só alegria, uma só aflição.Mas não é isso que tanto se procura? Então, essa sensação deve ser a tal da felicidade, será? E como seria viver assim todos os dias, sem anseios, angústias, ansiedades?

Não, nem pensar. Tomara que chegue logo amanhã para ter boas razões para reclamar. Nada de importante, apenas as reclamações de sempre: que você não consegue emagrecer 2 quilos, que está exausta, que está pensando em largar o trabalho, o marido ou em inventar uma viagem, só para mudar, só para variar. É que hoje não está dando. A tal da paz- será isso a felicidade? – se instalou, e a única coisa que a mantém viva é imaginar que amanhã de manhã todos os problemas do mundo vão voltar.

Muito esquisita essa tal de felicidade.

DANUZA LEÃO