Arquivo de Tag | homem

Um homem e uma mulher

Este texto foi publicado pelo querido amigo Edson Marques em sua página do Facebook. Não faz parte de seus escritos, mas sei que ele concorda muito com o que está registrado. E eu me encantei com o que li, pois acho realmente que ter alguém só por ter ou pra ter, nunca valerá a pena.  Tem que haver uma real diferença para se concordar em estar e ficar. E isto eu considero para as pessoas no geral, independente da idade. Da adolescência à maturidade. SK

Mulher x Homem

A questão da mulher mais velha no namoro com mais jovem


Um assunto polêmico que interessa a homens e mulheres, vez que hoje estamos em tempo de muitas ligações do gênero. Eu, pessoalmente, nunca tive essa experiência, até porque desde muito jovem sempre me interessei por homens mais velhos que eu considerava mais compreensivos e com mais conteúdo,  mas não sou contra. Por alguns pontos pode ser uma relação complicada que chegará a machucar as partes, mas nada deplorável ou que não deva ser experimentada caso ocorra. Afinal, qualquer que seja a relação, pode haver entrosamento e felicidade…. ou não.

edith e marcelVeja, por ex. na biografia de Edith Piaff,  o caso com seu último amor Marcel Cerdan  


Sempre que uma artista sênior desfila com um garotão mais novo a tiracolo, a mídia se delicia e publica uma enxurrada de matérias com fotos, como se isso fosse coisa de outro mundo. O que pouca gente entende é que os tempos mudaram. Antigamente, uma mulher de 30 anos já era considerada “velha” e deveria estar casada, esquentando a barriga no forno e esfriando-a no tanque.

Hoje mulheres têm mais poder de decisão, mais oportunidades de carreira e, além disso, inúmeros produtos de beleza e recursos médicos que possibilitam um visual mais jovem (mas sem forçar a barra, por favor, porque uma coisa é ter aparência jovem, outra é tentar ser uma garota de 18 anos de idade).

Existe uma troca produtiva numa relação deste tipo: ela quer jovialidade, aventura, companheirismo, emoções e desprendimento que uma pessoa de sua idade provavelmente não daria, e ele quer crescer, ser valorizado e protegido. Se você tem vocação para Ashton Kutcher, marido de Demi Moore e 16 anos mais novo que ela ou de Guy Ritchie, o ex-marido 10 anos mais novo que Madonna (aqui não foi a idade que os separou, foi o ego desproporcional dela), então seguem aí comentários feitos por um HOMEM, sobre os prós e contras (para os homens) de uma relação com mulher mais velha:

1- Ela te escolheu como namorado, porque viu um potencial em você, um diamante bruto, que, lapidado, pode se tornar uma joia de real valor. MAS, atenção: existe uma possibilidade dela estar com você apenas porque morre de medo de se sentir velha.

2- Ela pode te ensinar muito, pois já sabe o caminho das pedras e tem uma vivência maior que a sua, MAS pode cair na tentação de querer controlar sua vida e lhe dizer tudo o que deve fazer ou não.

3- O papo vai ser mais profundo, com assuntos mais interessantes do que aqueles que você teria com uma menina mais nova e com certeza ela vai despertar seu intelecto, MAS ela pode se cansar de sua imaturidade e sua mania de falar que filme preto-e-branco é chato ou que Nietzsche parece som de espirro.

4- Ela vai lhe valorizar e ter orgulho de estar ao seu lado, porque você a faz se sentir mais gostosa, MAS ainda existe preconceito e muita gente vai achar que você só está com ela por causa do dinheiro.

5- Ela é mais liberada em termos de sexo, porque não tem os complexos e barreiras de uma menina mais nova e, com certeza, quer agradá-lo, MAS você não tem que encanar achando que ela é tarada, liberada demais ou algo assim. Freie sua cabeça de macho e aproveite.

6 – Ela é uma mulher pronta, que sabe o que quer e que poderá, além de dar muito carinho, cuidar de você e lhe ajudar em momentos mais obscuros, MAS ela pode se tornar uma segunda mãe e você corre o risco da namorada madura querer ajeitar sua camisa e seu cabelo em público, causando aquele momento embaraçoso.

7- Ela vai incentivar seus sonhos e te dar liberdade para alcançá-los, MAS pode não querer que você saia de perto dela, e a relação tende a ficar sufocante.

8- É bem provável que ela queira uma relação romântica, um namoro prolongado e que casamento ou a união dos trapos esteja fora de cogitação a curto e médio prazo, MAS isso pode vir contra o que você quer para seu futuro.

9- Ela tem autoconfiança, maturidade e aquele ar que de que sabe cada coisa que passa pela sua cabeça, MAS sempre vai morrer de ciúmes de ver você conversando com aquela gata de 20 e poucos anos, com medo de ser instantaneamente trocada.

10- Amar alguém mais velho pode ser uma experiência fascinante e, sim, pode dar certo, MAS depende dos dois terem certeza de suas escolhas e estrutura para sustentar a relação – até porque é muito provável que enfrentarão a resistência das famílias e de alguns amigos retrógrados.

CLAUDIO PUCCIquebra cabeça

O Dilema das Mulheres Poderosas

Nada mais intrigante do que as dificuldades afetivas relatadas pelas mulheres poderosas, afinal, poder é justamente o que mais elas valorizam nos homens que querem conquistar a qualquer custo.

Também nada mais verdadeiro do que o temor inspirado pelas mulheres poderosas nos círculos masculinos, cujo foco de interesse não é exatamente a dimensão do poder, mas alguns recursos de sedução que as mulheres poderosas tendem a valorizar cada vez menos.  O poder feminino, puro e simples, não estimula um único neurônio nos centros de prazer do cérebro masculino. Já a proporção correta entre a cintura e os quadris…

Amor não é um sentimento sensível aos critérios mais elementares de justiça, igualdade e fraternidade. Amor é algo diferente, é uma mistura de sentimentos irracionais maravilhosos. O verdadeiro amor é uma explosão espiritual involuntária, incontrolável, inebriante, caótica, um verdadeiro vício abastecido pelo que há de mais volátil nos circuitos cerebrais de qualquer um de nós. Não há como enquadrar o amor na lógica do politicamente correto, esse filhote monstrengo da reflexão antropológica concebida para domar os sentidos bárbaros que trouxemos da floresta.

Ironicamente, essa poderosa energia que nos remete ao paraíso é a mesma que nos faz caminhar nas fronteiras mais extremas da prudência, exatamente no ponto de corte onde o cérebro racional vacila frente ao prazer irracional da loucura. Parece exagero, mas é só olhar ao redor. O amor, a paixão, o amor paixão genuíno nos aproxima da essência mais refinada da loucura. É nele que deságua a energia dos nossos sentidos, o poder dos instintos, é através dele que nos aproximamos do homem verdadeiro, da besta, do animal que vive dentro da nossa cabeça e que não está nem aí para o poder que as mulheres não só precisam como justamente merecem pelo que representam na vida de todos nós.

É complicado, mas é exatamente assim, maravilhosamente complicado. Quem consegue, consegue. Quem não consegue que mude, para melhor ou pior. É o preço.

Ney Mário Brasil (médico, empresário, escritor)

***********************************************************************************

Acho muito interessante conhecer e analisar a opinião de um homem com relação a um assunto tão controvertido. Será mesmo que o poder é algo que a mulher valoriza tanto na escolha de seu homem? E o poder pode realmente afetar as relações? Pensando bem acho que o poder altera o ser humano em geral. Tanto homens como mulheres. Agora vou repetir algo que já é chavão: “atrás de todo grande homem, geralmente vem uma grande mulher”. E logo a seguir de uma brilhante mulher, nem sempre vem um grande homem. Não sou feminista intransigente, mas pare pra pensar e veja se não tenho razão nessa colocação. Mas também acho que o amor não tem nada a ver com o poder existente em um ou outro. O amor transcende essa questão. São só comentários para uma reflexão.

Como identificar um cafajeste?

ELES APOSTAM TODAS AS FICHAS NA CONQUISTA,  MAS SE CANSAM RAPIDAMENTE DELAS.

Charmoso, mas perigoso. Essa é uma das faces de um cafajeste, um homem como Marcos (José Mayer), o personagem vivido pelo ator José Mayer em “Viver a Vida”, novela transmitida pela Rede Globo. Em pesquisa realizada no site da trama, 64% das pessoas classificaram o galã assim. E não é por menos: ele tem um histórico de traições, flertes fora do casamento, é ciumento e já foi até um pouco violento.

Para definir o padrão de comportamento de um cafajeste, identificá-los – e até aturá-los, traçamos o perfil dos homens que saem da linha. Confira!

Sedutor e interessante
“O cafajeste como retratado na novela é mais comum do que parece. Ele lembra um perfil de Don Juan, uma síndrome dentro da psicologia”, diz Thiago de Almeida,  psicólogo especialista em relacionamentos. Segundo ele, esse tipo de homem é conhecido por nunca ter um relacionamento amoroso com uma parceira única a médio e longo prazo e, caso tenha, não consegue preservar a fidelidade e o vínculo.

O “cafa” é motivado pela conquista, um sedutor que sabe ser manipulador e alimenta sonhos, esperanças e fantasias de uma mulher para tê-la. Depois de conseguir, porém, perde o interesse. “A mulher contemporânea pensa que está vacinada contra esse tipo de homem, mas ele tem empatia com ela”, explica Thiago. “Não é o cara que chega passando a mão na bunda ou que quer dar um golpe, e sim o que pretende atingir o coração alheio”, desmistifica o especialista.

“É importante pontuar que um ‘cafa’ de hoje é diferente do de antigamente, um sujeito grosseiro, machista e tosco. Hoje, o cafajeste é aquele cara que não se envolve facilmente, que consegue atrair as mulheres. Ele sabe manter a frieza quando necessário e ser fofo quando preciso”, opina Gustavo, publicitário autor no blog Manual do Cafajeste.

Pablo Pansini, que escreve no site Papo de Homem,  aponta o cafa como um galanteador: “Ele sabe como usar o carisma e seu jogo de palavras pra conseguir o que quer. Sabe a hora de ser mais carinhoso e mais grosso. Mas não é sincero, honesto e leal”

Como identificar
Quando conhece uma mulher que lhe interessa, o cafajeste investe para criar vínculos e não mede telefonemas ou e-mails. Com o tempo essa atenção vai diminuindo até que a situação se inverta e a mulher fique ligando, correndo atrás e convidando pra sair.

“Quando você acha que ele se esqueceu de você, vai aparecer te chamando pra sair, falando coisas bacanas e fará com que você se sinta a mulher mais legal do mundo. Se ele percebe que você está se apaixonando, tira o corpo fora”, diz Gustavo. “É difícil identificá-lo, pois é um cara que aparentemente parece ser um bom partido, mas que foge de compromisso. Por isso é bom desconfiar de homens com a pegada muito boa e com jeito de bom moço”, completa.
Para o “cafa” há medidas diferentes entre o que ele e você podem fazer. É perfeitamente aceitável ele desmarcar um compromisso na última hora, mas quando a atitude parte da mulher isso o incomoda.

Ele não sabe se colocar no lugar dos outros e é desatento com os sentimentos alheios. “Se isso virar uma tendência de comportamento, cuidado porque você pode ser vitima de um Don Juan”, alerta Thiago. “Ele é egoísta e predador. Isso é uma psicopatia”, completa.

Como se relacionar com um?
O cafajeste não apresenta riscos ao coração se a intenção com ele é se divertir, sem compromisso e expectativas. Amar um cafajeste, porém, é mais complicado. “Esse tipo de pessoa não se recicla, não muda”, diz Thiago. Nesse caso, cabe a mulher avaliar se vale a pena estar ao lado de alguém que tem limitações no relacionamento.

Uma das estratégias para amarrar um cafa é não deixá-lo muito seguro. “Quando ele namora precisa estar na eterna conquista. O dia que ele percebe que a garota faz todas as suas vontades, se anula por causa dele, o trata como se fosse a coisa mais importante no mundo, ele termina”, avalia Gustavo.

Um cafajeste vê a mulher como propriedade, uma extensão da agenda dele. Para desequilibrar o jogo vale não ficar tão disponível para ele e arrumar programas sozinha ou com as amigas. “Ele vai se questionar se a sedução dele está funcionando e vai investir mais. O homem inseguro aumenta a vigilância dele em relação a ela e isso é um dos motores para o amor”, explica Thiago.

(Publicado no G1 – Globo.com)

Parabéns ao filho querido

10/7/2012

Agora não tem mais jeito. Meu pequeno, minha criança tão amada e mimada cresceu mesmo e se tornou um homem com 22 anos!

Tive duas filhas e sempre mantive a vontade de ter um filho. Então Deus achou que poderia me fazer esse carinho e enviou você através de sua mãe. Você nasceu ela tinha 16 anos e era ainda uma criança também.

Após os sustos iniciais, o que é normal na condição, passei a curtir você desde dentro da barriga. Acompanhei-a pra fazer ultra-som quando era gestante de 4 a 5 meses e tive a notícia de que seria um menino.
Vibrei muito e passei a esperá-lo diariamente imaginando o formato de cada partezinha sua. Até fiz um poema na época, que entreguei pra sua mãe, falando de você imaginado de acordo com as medidas de cada membro, cabeça, tórax etc que vinha anotado nos ultra-sons que iam sendo feitos.

E eis que chegou você! Moreninho, lindinho, olhos grandes e puxados, no berçário todos o confundiam com mestiço de japonesinho.

E de lá pra cá quantas coisas boas e ruins passamos… Sua bisavó (vó Inêz, minha mãe) tinha um carinho muito especial com você e até seu final contou nos dedos o tempo que queria viver a mais pra poder assistir seus 15 anos. Quase deu tempo.

E eu fui vivenciando todas as suas fases: criança meiga e carinhosa, estudante nem sempre ligado, adolescente cheio de rebeldias e novidades a cada dia. Cabelo longo, moicano, jeans rasgado, alargador, tatuagens diversas, piercing…..skate, bicicleta…. lan house virando a noite…horas e mais horas nos videogames que foram dos consoles de Nintendo e Sega, depois aos Playstations até o XBox 360… mais centenas de horas no  computador…. De tudo um pouquinho. E eu ficava meio agoniada e perdida com tudo pois,  por mais que a gente se prepare para esses períodos, a diferença de gerações impede que se vá aceitando na boa.

Daí começaram os primeiros fios de barba e você foi cultivando um a um até que conseguiu ter a barba que sonhava, com bigode e tudo. No entremeio,  servir o exército, juramento de bandeira, primeiro emprego. Fui vivendo todas as passagens e emoções com você. Namoradinhas, meninas chamando no portão…. baladas com amigos…. eu sem dormir esperando chegar, sendo a “chata” que toda mãe é nesse tempo e até continua sendo pela vida afora. A curtição de bandas de rock que me deixavam doida com o barulho, o entusiasmo com o violão que lhe dei aos 18 anos, depois a guitarra que seus tios lhe deram… O encontro do primeiro amor que ainda permanece junto e que custei a entender e aceitar sua ligação maior.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E meu menino cresceu. Ainda é difícil olhar e ver que já é um homem. E então devo pegar no pé inúmeras vezes, devo tratá-lo como criança outro tanto, mas a intenção é sempre das melhores.

Espero poder vê-lo se casando, se realizando como ser humano, como profissional e encontrando sua satisfação total.

Hoje só parabéns, meu menino, meu pequeno grande homem!

Seja abençoado sempre e procure entender as neuras desta quase (??) senhora que o acompanha noite e dia.

Homem… Mulher


Fosse eu um homem e queria pra mim

uma mulher boa de cama,

mesa, banho e social.

Que me levasse pra cama e não fosse pra dormir;

que fizesse bem

o trivial arroz com feijão até o prato mais requintado;

me levasse para o banho

esfregando com carinho minhas costas,

ensaboando o suficiente pra se escorregar em mim.

Na sala recebesse sempre com sorrisos

a família e os amigos.

Fosse eu uma mulher e queria pra mim

um homem bom de cama, mesa e colo,

que me levasse pra cama com a sutileza de um lorde

e lá fosse só um homem,

lembrando que sou só uma mulher.

Que me acompanhasse na mesa

com o apetite que se tem após um amor completo.

Que me desse um colo suave,

deixando minha cabeça deitar, afagando os cabelos,

falando comigo o que quisesse,

ouvindo o que eu tinha a dizer.                        

Fosse eu um homem ou uma mulher…

Só queria ser eu

pra estar com você.

 SK – Jun/2009