Arquivo de Tag | juventude

Alguns conselhos

Já sei que pensaram e falaram que se conselho fosse realmente útil seria vendido.

Também acho, mas alguns comentários que são feitos acho bem pertinentes.

Sempre é bom pensar um pouquinho.

Afinal envelhecer é parte da vida, mas ser chato ou inconveniente….

 

 

idoso

1 – Tome posse da maturidade. A longevidade é uma bênção! Comemore! Ser maduro é um privilégio; é a última etapa da sua vida e se você acha que não soube viver as outras, não perca tempo, viva muito bem esta. Não fique falando toda hora: “estou velho”.  Velho é coisa enguiçada. Idade não é pretexto para ninguém ficar velho.

.2 – Perdoe a você antes de perdoar os outros. Se você falhou, pediu perdão? Deus já o perdoou e não se lembra mais. Não fique remoendo o passado. Não se importe com o julgamento dos outros.

3 – Viva com inteligência todo o seu tempo. Viva a sua vida, não a do seu marido, da sua esposa, dos filhos, dos netos, dos parentes, dos vizinhos, dos amigos… Nem viva só pra eles, viva pra você também. Isto se chama amor próprio, aquilo que você sacrificou sempre! Nunca viva em função dos outros. Faça o seu projeto de vida!

4 – Coma e beba com moderação; durma o suficiente. Tenha disciplina. Fale com muita sabedoria. Discipline sua voz: nem metálica; nem baixinha; seja agradável!

5 – Poupe seus familiares e amigos das memórias do passado. Valorize só o que foi bom. Experiências caóticas, traumas, fobias, neuroses, devem ser tratadas com o psicoterapeuta.

6 – Não aborreça ninguém com o relatório das suas viagens. Elas são interessantes só pra quem viaja. Ninguém aguenta ouvir os relatórios e ver fotografias horas e horas. Comente apenas o destino e a duração da viagem, se alguém perguntar.

7 – Escolha bons médicos. Não se automedique. Não há nada mais irritante do que um idoso metido a receitar remédio pra tudo o que o outro sente. Faça uma faxina na sua farmácia doméstica.

8 – Não arrisque cirurgias plásticas rejuvenescedoras. Elas têm prazo curto de duração. A chance de você ficar mais feio é altíssima e a de ficar mais jovem é fugaz. Faça exercícios faciais. Socorra os músculos da sua face. Tome no mínimo 8 copos de água por dia e 15 min de banho de sol é indispensável.

9 – Use seu dinheiro com critério. Gaste em coisas importantes e evite economizar tanto com você. Tudo o que se economizar com você será para quem? No dia em que você morrer, vai ser uma feira de Caruaru na sua casa. Vão carregar tudo. Não darão valor a nada daquilo que você valorizou tanto: enfeites, penduricalhos, livros antigos, roupas usadas, bijuterias cafonas, ouro velho, prataria preta, troféus encardidos, placas de homenagens. Por que não doar as roupas, abrir um brechó ou dar todas as suas bugigangas?

10 – A maturidade não lhe dá o direito de ser mal-educado. Nada de encher o prato na casa dos outros ou no self-service ou numa festa de casamento. Falar de boca cheia é insuportável.

11 – Só masque chiclete sem testemunhas. Não corra o risco de acharem que você já está ruminando ou falando sozinho(a).rsrsr

12 – Aposentadoria não significa ociosidade. Você deve arranjar alguma ocupação interessante e que lhe dê prazer. Serve qualquer coisa: ganhando ou gastando (se tiver) dinheiro.

13 – Cuidado com a nostalgia e o otimismo. Pessoas amargas e tristes são chatíssimas, as alegres demais, também. Elogie os amigos, não fique exigindo explicações de tudo. Amigo é amigo.

14 – Leia. Ainda há tempo para gostar de aprender. A maturidade pode lhe trazer sabedoria. Coloque-se no grupo sempre pronto para aprender. Não se apresente em lugar nenhum dizendo: sou muito experiente!

15 – Não acredite nas pessoas que dizem que não têm nada demais o idoso usar roupas de jovens, cuidado. Vista-se bem, mas com discrição.

16 – Seja avô/avó do seus netos, não o pai, a mãe  ou a babá. Por isso nem pense em educá-los ou comprometer todo o seu tempo com as tarefas chatas de ir buscar na escola, levar a festinhas, natação, inglês, vôlei… Só nas emergências. Cuidado com aquela disponibilidade que torna os outros irresponsáveis.

17 – Se alguém perguntar como vão seus netos, não precisa contar tuuuudo! Evite discorrer sobre a beleza rara e a inteligência excepcional deles. Cuidado com a idolatria de neto e o abandono dos filhos casados.

18 – Não seja uma sogra ou sogro chato. Nunca peça relatório de nada. Seu filho tem a família dele. Você agora é parente! Nunca, nunca mesmo, visite seus filhos sem que seja convidado. Se o filho ligar pra você, não diga: ah! lembrou finalmente da sua mãe? É melhor dizer: Deus o abençoe meu filho.

19 – Cuidado em atender ao telefone: se a pessoa perguntar como você vai e você responder “estou levando a vida como Deus quer”, “a vida é dura”, “estou vencendo a dureza”, você vai ver que as ligações dos amigos e dos parentes vão rarear, cada vez mais.

20 – A maturidade é o auge da vida, porque você tem idade, juízo, experiência, tempo e capacidade para se relacionar melhor com as pessoas. Então delete do seu computador mental o vírus da inveja, do orgulho, da vaidade, promiscuidades, cobranças, coisas pequenas e frustrantes para tomar posse de tudo o que você sempre sonhou:
a felicidade!

* Ivone Boechat é mestre em educação, pedagoga, conferencista e escritora. Autora do livro “Estratégias para encantar educadores na Arte de Aprender”.

“O desejo de ir em direção ao outro, de se comunicar com ele, ajudá-lo de forma eficiente, faz nascer em nós uma imensa energia e uma grande alegria, sem nenhuma sensação de cansaço.”

Dalai Lama

Anúncios

De repente… tudo tão simples.

Passei anos e anos de minha vida me preocupando com tudo e todos. Tinha uma família – e não era tão pequena – pra sustentar e dar conta do dia a dia. Complicava o fato de ter sido criada com conforto, abundância de tudo, preparada para fazer um casamento com um “lorde” que me supriria de todas as necessidades e mais ainda. Estudava piano pois seria uma grande pianista como era o desejo de minha mãe. Nunca aprendi a fazer um arroz que fosse. E então….. vem a vida invertendo todas as respostas a qualquer pergunta que se faça. Daí fui à luta. Se bem que sempre gostei de trabalhar (fora de casa!) e comecei muito cedo mesmo a contragosto de meu pai que ainda era do tempo que filhA trabalhar fora era vergonhoso. Como sempre fui um pouco rebelde e contra regras e disciplina, mesmo não sendo uma anarquista, consegui me realizar muito profissionalmente. Mas meus dias eram repletos e minhas horas sempre gastas com o trabalho principalmente. Lazer era algo que não me chamava muito a atenção. Lamento hoje pelas minhas filhas que acabavam por me ter muito pouco em casa e ainda hoje reclamam disso.  Agradeço de coração o empenho e boa vontade de minha mãe que cumpria o papel que deveria ser também e muito meu. Houve falhas nesta forma? Claro! Mas, como se diz, “é o que tinha pro dia”. Tiveram todos boa vida, férias gostosas, as tais roupas de marca que adolescentes adoram, frequentaram ótimos restaurantes, se instalaram em deliciosos hotéis, assistência médica de primeira linha, os melhores colégios. Enfim, tudo o que o material pode produzir e proporcionar. Amor? Sempre tudo foi feito com todo o carinho e amor do mundo. No meu conceito, proporcionar o de melhor era também uma grande forma de AMOR. E o tempo passou. Não me casei com o lorde, não fui pianista nem média, aprendi a cozinhar e muito bem (tive até rotisserie e restaurante). Fui excelente profissional como administradora gerencial, preparando perfeitos bastidores  para as “estrelas” que tive o prazer de conviver e trabalhar. E, como é inevitável, o tempo passou e passou. Até me ver hoje como uma senhora – idosa??!! – tranquila, ainda cheia de amor, em vésperas de ser bisavó (o que estou esperando acho que mais que o casal). Tive a infelicidade de ficar doente no ano passado, com um câncer no palato mole que me deixou muito triste e assustada. Mas consegui vencê-lo e o tumorzinho cicatrizou (ô glória!). Luto hoje com as sequelas da radioterapia que é um tratamento super agressivo e me perturba um bocado. Mas estou bem. Modifiquei minha alimentação por força das circunstâncias, perdi 35 quilos devido a isto (foi ótimo, pois fiquei com o corpo de solteira) e me sinto super cheia de vigor e energia.  Resumindo tudo isto, o texto que achei no facebook e que abaixo transcrevo, diz muito ou tudo o que realmente penso e sinto nesses dias que ainda são meus, tendo consciência de que tenho muito mais passado do que futuro (parodiando Rubem Alves).

E tudo fica tão simples…

 

 

de repente

 

Envelhecer??

Acho uma delícia esse texto. Cada frase, cada colocação, cada dedução, sintetiza realidades tão simples, que dá gosto analisar e sentir. Tudo é muito interessante, mas a questão das tolices da juventude, é impagável.  E a conclusão da chegada aos sessenta, grande verdade.

Veja v. mesmo.

envelhecer

 
“Envelhecer é o único meio de viver muito tempo.

A idade madura é aquela na qual ainda se é jovem, porém com muito mais esforço.

O que mais me atormenta em relação às tolices de minha juventude, não é havê-las cometido…

é sim não poder voltar a cometê-las.

Envelhecer é passar da paixão para a compaixão.

Muitas pessoas não chegam aos oitenta porque perdem muito tempo tentando ficar nos quarenta.

Aos vinte anos reina o desejo, aos trinta reina a razão, aos quarenta o juízo.

O que não é belo aos vinte, forte aos trinta, rico aos quarenta, nem sábio aos cinquenta,

nunca será nem belo, nem forte, nem rico, nem sábio…

Quando se passa dos sessenta, são poucas as coisas que nos parecem absurdas.

Os jovens pensam que os velhos são bobos; os velhos sabem que os jovens o são.

A maturidade do homem é voltar a encontrar a serenidade como aquela que se usufruía quando se era menino.

Nada passa mais depressa que os anos.

Quando era jovem dizia:
“verás quando tiver cinquenta anos”.

Tenho cinquenta anos e não estou vendo nada.

Nos olhos dos jovens arde a chama, nos olhos dos velhos brilha a luz.

A iniciativa da juventude vale tanto quanto a experiência dos velhos.

Sempre há um menino em todos os homens.

A cada idade lhe cai bem uma conduta diferente.

Os jovens andam em grupo, os adultos em pares e os velhos andam sós.

Feliz é quem foi jovem em sua juventude e feliz é quem foi sábio em sua velhice.

Todos desejamos chegar à velhice e todos negamos que tenhamos chegado.

Não entendo isso dos anos: que, todavia, é bom vivê-los, mas não tê-los.”

Albert Camus

 

Amizade e Juventude

Conheces a relação entre os teus dois olhos? 

Eles piscam juntos,  movem-se juntos, choram juntos, vêem as coisas juntos e dormem juntos.
Ainda que nunca possam se ver um ao outro…

A amizade deve ser exatamente assim! 
 
Estamos na semana mundial do melhor amigo.

Quem é o teu melhor amigo? 
 
Campanha! Os amigos também dizem: TE AMO!!!…

buquê

COMO MANTER-SE JOVEM

1. Elimine os números que não são essenciais.Isto inclui a idade , o peso e a altura..
Deixe que os médicos se preocupem com isso.

2. Conserve só os amigos divertidos.Os depressivos jogam-no para baixo.
(Recorde isto se for um desses depressivos!)

3. Aprenda sempre:
Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o  que quer que seja.

Não deixe que o seu cérebro se torne preguiçoso.
‘Uma mente preguiçosa é a oficina do Alemão.’ e o nome do Alemão é Alzheimer!

4. Aprecie mais as pequenas coisas.

5. Ria muitas vezes , durante muito tempo e muito alto.

Ria até que lhe falte o ar.
E se tem um amigo que o faz rir, passe muito mais tempo com ele / ela!

6. Quando as lágrimas aparecerem
Aguente, sofra e supere-as.

A única pessoa que fica conosco toda a vida somos nós mesmos.
VIVA enquanto estiver vivo.

7. Rodeie-se das coisas que ama:
A família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja.
O seu lar é o seu refúgio.

8. Cuide da sua saúde:
Se é boa, mantenha-a.
Se é instável, melhore-a.
Se não consegue melhorá-la , procure ajuda.

9. Não faça viagens de culpa. Viaje para o shopping, para um país diferente,
Nunca para onde  haja culpa.

10. Diga às pessoas que ama, que as ama em cada oportunidade.

Se A VIDA É BELA POR QUE NÃO SORRIR SEMPRE?

”… Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda…” Cecília Meireles

Comer pastel na feira é mais eficaz do que um abaixo-assinado

 Uma das melhores crônicas/comentários que li nos últimos tempos.

Vale a pena ler.

É cômico e ao mesmo tempo uma séria reflexão dos tempos que vivemos.

Parabenizei muito o autor da façanha.

Muito bem pensado e colocado.

Amo essas cabeças jovens que falam com tanto espírito e galhardia.

pastel

 

 

No colégio, volta e meia aprontávamos abaixo-assinados fazendo as mais várias solicitações, sempre com forte adesão de todos os colegas de turma. De cabeça, lembro-me dos textos pedindo o fim da obrigatoriedade do uniforme escolar, a pena de morte para a professora de gramática e a antecipação do feriado natalino para setembro. Infelizmente, a direção nunca atendeu a expressa vontade do corpo de estudantes – apesar da indiscutível justeza das reivindicações. Vendo que essa forma de manifestação não reverberava nas instâncias superiores, passamos a praticar sistematicamente outras formas de protesto cívico, como o enforcamento de aulas para comer pastel na feira. Nossa revolta passou então a ser notada, gerando, como consequência, o destacamento de guardinhas, devidamente equipados com motocicletas, para perseguir os alunos indisciplinados.

Desde então, assimilei a informação de que comer pastel na feira gera resultados mais eficazes do que redigir um abaixo-assinado. Com o tempo, as razões me pareciam óbvias: ninguém leva a sério um papel invariavelmente engordurado, amassado, cheio de rasuras, com uma lista de signatários na qual quase sempre estão presentes nomes de notórios falecidos – Raul Seixas é o meritoso campeão, aparecendo em 99% dos abaixo-assinados de todo o Brasil.

Qual não foi a minha surpresa ao descobrir que abaixo-assinados são, sim, muito importantes neste nosso país, determinando a abertura ou a não abertura de partidos políticos. Mais: há peritos responsáveis em analisar a validade das assinaturas. Mais de 500 mil pessoas tiveram a pachorra de escrever nome completo, fizeram o esforço de lembrar-se do número de RG – apenas para tornar possível a existência dos benvindos Pros e Solidariedade. Até aí, nenhuma surpresa: de minha experiência escolar, já havia aprendido que todos estão sempre dispostos a assinar qualquer abaixo-assinado, porque é divertido fazê-lo. A Rede, da Marina Silva, apenas não teve competência pra fazer circular todas as folhas rotas de papel: ninguém recusa um abaixo-assinado, ninguém recusa uma cartela de bingo. A novidade é a ampla divulgação da validade desse instrumento.

Aproveitando o embalo, e o fato de que ninguém presta atenção no documento que está subscrevendo, deveríamos fazer valer medidas que, caso estudadas com mais rigor, haveriam de ser rechaçadas, mas que podem até acabar se tornando legais, no calor do momento. A antecipação do feriado natalino para setembro devo considerar como um arroubo da juventude, mas tenho já aqui outras ideias, e estou disposto a aderir entusiasticamente a propostas que se revelarem interessantes. Abaixo, as que me ocorrem de imediato.

  • Abaixo-assinado pela proibição da manufatura de lingerie na cor bege – sendo consideradas “bege” as roupas de baixo nos chamados tons “chocolate”, “nude”, ou quaisquer outros nomes com que a indústria tente abrandar a vergonha de usar lingerie bege.

  • Abaixo-assinado pela normatização do truco – em cada estado há uma regra diferente, é uma balbúrdia, ninguém se entende, são brigas que poderiam ser evitadas em se instituindo um pouco de ordem.

  • Abaixo-assinado pela criação de uma campanha de prevenção contra as dinâmicas de grupo – o governo também deveria financiar panfletos explicativos com dicas demonstrando como não ser proativo, como sabotar o espírito de liderança e como repudiar o trabalho em equipe.

  • Abaixo-assinado pela conscientização sobre o real significado do creme chantilly – milhares de pessoas são privadas de experimentar esta maravilha porque provaram aquela espuma de barbear com açúcar vendida em tubos de spray, detestaram, e assim acham que não gostam de chantilly – uma impossibilidade física.

  • Abaixo-assinado pela inclusão da disciplina de manutenção automotiva no currículo escolar – sempre aparecem alguns bocudos para falar com naturalidade de velas, pastilhas de freio, cárteres, como se isso fosse a coisa mais natural do mundo. Não sei onde aprenderam tudo isso, na escola não foi. Mas acho que faço parte de uma maioria silenciosa: estudar manutenção automotiva é bem mais útil do que decorar o processo de reprodução dos anelídeos, convenhamos, e nos pouparia da vergonha de ter de ligar para o seguro a cada vez que um pneu é furado.

Postado em 02/10/13 por André Simões – Site Livros e Afins

http://livroseafins.com/comer-pastel-na-feira-e-mais-eficaz-que-um-abaixo-assinado/

“Somos queijo gorgonzola”

Nada, nada mesmo além da valorização pessoal.

Envelhecimento é algo tão pessoal e tão revestido de sentimentos, que acaba sendo inexplicável.

Começamos a envelhecer quando nascemos e deveria ser algo bem natural para todos.

Lógico que tem umas deteriorações de memória, de saúde no geral,

de uma dorzinha aqui, outra ali,

de cabelos embranquecendo (mas ficam lindos!) ,

de umas ruguinhas que vão se instalando sem que nenhum creme resolva.

Mas é a natureza se mostrando em todo seu esplendor e sabedoria.

maitê

“Estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, só ouço isto.

No táxi, no trânsito, no banco, só me chamam de senhora.

E as amigas falam “estamos envelhecendo”, como quem diz “estamos apodrecendo”.

Não estou achando envelhecer esse horror todo.

Até agora.

Mas a pressão é grande. Então, outro dia, divertidamente, fiz uma analogia.

O queijo Gorgonzola é um queijo que a maioria das pessoas que eu conheço gosta.

Gosta na salada, no pão, com vinho tinto, vinho branco, é um queijo delicioso,

de sabor e aroma peculiares, uma invenção italiana, tem status de iguaria com seu sabor sofisticadíssimo,

incomparável, vende aos quilos nos supermercados do Leblon, é caro e é podre.

É um queijo contaminado por fungos, só fica bom depois que mofa.

É um queijo podre de chique.

Para ficar gostoso tem que estar no ponto certo da deterioração da matéria.

O que me possibilita afirmar que não é pelo fato de estar envelhecendo

ou apodrecendo ou mofando que devo ser desvalorizada.

Saibam: vou envelhecer até o ponto certo, como o Gorgonzola.

Se Deus quiser, morrerei no ponto G da deterioração da matéria.

Estou me tornando uma iguaria.

Com vinho tinto sou deliciosa.

Aos 50 sou uma mulher para paladares sofisticados.

Não sou mais um queijo Minas Frescal,

não sou mais uma Ricota,

não sou um queijo amarelo qualquer para um lanche sem compromisso.

Não sou para qualquer um, nem para qualquer um dou bola,

agora tenho status, sou um queijo Gorgonzola.”

Maitê Proença

Doce, querido, amado, louco amor!

Doce amor de sonho,

de nuvens correndo o céu,

de sol brilhando,

de estrelas faiscando,

de luar banhando a vida.

Querido amor de vibração,

de coração batendo,

de olhos brilhando,

de mãos  tremendo,

de ondas de calor e frio.

Amado amor adolescente,

de mãos andando juntas,

de longos passeios ao ar livre,

de braços fortes segurando os ombros.

Louco amor de juventude,

olhos nos olhos,

mãos nas mãos,

coração pulsando violento,

sem palavras, sem gestos, sem toques,

só vibrações e sentimentos,

sem mentiras, sem futuro,

presente só o momento.

Louco, amado, querido, doce amor!

SK