Arquivo de Tag | sabedoria

40 coisas para se fazer em 2014

Faz parte de minha admiração pelo autor destes conselhos – Edson Marques – publicá-los aqui neste início de ano. Acho que nem se pode chamar de “conselhos”, mas sim de direção de VIDA. Parar, analisar cada citação e por em prática o máximo que se puder. Assim, o ano poderá transcorrer com mais leveza e objetivos mais claros. Isto diria a linda coruja, símbolo da sabedoria. Simples assim.

coruja exótica


01. Beba mais água e mais vinho.

02. Acredite que o colesterol nada tem a ver com teu coração.

03. Viva com mais Entusiasmo, com mais Energia, e com mais Coragem.

04. Arranje sempre algum tempinho pra falar com Deus.

05. Faça atividades que estimulem o teu cérebro.

06. Leia mais livros do que leu em 2013.

07. Fique em silêncio alguns minutos todo dia. Pense. Reflita. Medite.

08. Procure dormir tranquilamente, para acordar de bom humor.

09. Faça exercícios físicos. Caminhe pelo menos 30 minutos por dia.

10. Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

11. Não compare a tua vida com a dos outros. Cada um tem sua história.

12. Não tenha pensamentos negativos sobre coisa alguma.

13. Mantenha o controle dos teus estados de espírito.

14. Não se torne demasiadamente sério. Deus adora a alegria.

15. Não desperdice a tua preciosa energia em fofocas.

16. Sonhe mais. Sem sonho nada se constrói.

17. A inveja é um desesperado sinal de fracasso.

18. Jamais conclua apressadamente. Analise antes as premissas.

19. A vida é curta demais para se odiar alguém. Não odeie.

20. Faça as pazes com o teu passado para não estragar o teu presente.

21. Ninguém comanda a tua própria felicidade, a não ser você mesmo.

22. Saiba que a vida é uma escola — e aproveite para aprender.

23. Sorria mais. Encontre motivos para dar umas boas gargalhadas.

24. Não é preciso vencer todas as discussões. Aceite a discordância.

25. Entre mais em contato com tua família e com teus amores.

26. Nunca perca uma oportunidade de ajudar alguém.

27. Se não puder perdoar a todos, ao menos os compreenda.

28. Valorize as pessoas alegres. Conviva mais com elas.

29. Jogue fora tudo aquilo que não for importante.

30. O que outros dizem a teu respeito nunca vai mudar a tua essência.

31. Não permita que um simples idiota decida o teu destino.

32. Faça sempre o que é correto, justo e verdadeiro.

33. Cerque-se de gênios. A burrice é contagiosa.

34. Deus cura todas as doenças — exceto o mau humor e a maldade.

35. Valorize a própria liberdade, acima de qualquer outra coisa.

36. Não importa como você esteja se sentindo: pratique uma boa ação.

37. O melhor ainda está por vir — em todos os sentidos.

38. Só o que está morto não muda.

39. Preencha o teu coração com alegria, esperança e gostosura.

40. Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.

 

Árvore vida

Esta imagem me causou um efeito tão grande que foi um prazer poder destacá-la e trazer pra cá.

Já comentei que adoro aquelas árvores que deixam suas raízes enormes e trabalhadas à vista, permitindo uma visão de sua sabedoria feita de tempo e vivência.

Se eu fosse fotógrafa sairia clicando todas elas e faria um lindo e enorme álbum.

árvores com vida

Sabedoria

“Sabedoria evita shows, entende economia e sabe que ninguém precisa de seu julgamento, somente de seu amor pela vida, de seu calor e percepção. Sabedoria simplesmente vê o que precisa e fornece; ajusta-se, mas permanece singular. É uma vida de vitórias silenciosas e derrotas sorridentes.”

Brahma Kumaris

QUANDO ME AMEI DE VERDADE

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é… Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de… Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é… Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama… Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a… Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é… Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é… Saber viver!

Charles Chaplin

Decidir

Um repórter perguntou à Cora Coralina o que é viver bem. Ela lhe disse:
“Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice.
E digo pra você, não pense.
Nunca diga estou envelhecendo, estou ficando velha.
Eu não digo.
Eu não digo que estou velha, e não digo que estou ouvindo pouco.
É claro que quando preciso de ajuda, eu digo que preciso.
Procuro sempre ler e estar atualizada com os fatos e isso me ajuda a vencer as dificuldades da vida.
O melhor roteiro é ler e praticar o que lê.
O bom é produzir sempre e não dormir de dia.
Também não diga pra você que está ficando esquecida, porque assim você fica mais.
Nunca digo que estou doente, digo sempre: estou ótima.
Eu não digo nunca que estou cansada.
Nada de palavra negativa.
Quanto mais você diz estar ficando cansada e esquecida, mais esquecida fica.
Você vai se convencendo daquilo e convence os outros.
Então silêncio!
Sei que tenho muitos anos.
Sei que venho do século passado, e que trago comigo todas as idades, mas não
sei se sou velha, não.
Você acha que eu sou?
Posso dizer que eu sou a terra e nada mais quero ser.
Filha dessa abençoada terra de Goiás.
Convoco os velhos como eu, ou mais velhos que eu, para exercerem seus
direitos.
Sei que alguém vai ter que me enterrar, mas eu não vou fazer isso comigo.
Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias minha
própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto,
pois “lutar” é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes.
O importante é “semear”, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade.
Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça.
Digo o que penso, com esperança.
Penso no que faço, com fé.
Faço o que devo fazer, com amor.
Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende.
Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir  ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que “o mais importante é o DECIDIR”.

OBS. do Blog:(Cora Coralina – pseudônimo escolhido por Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, 1889-1985) Seu primeiro livro foi publicado em 1965, quando ela já tinha 76 anos de idade, embora desde os 14  já tivesse textos seus publicados em jornais de Goiás, onde nasceu. Cursou só o primário, mas sua alma e sabedoria foram centenárias.