Arquivo de Tag | sonho

Decidi!

navio

Baixei as malas do armário, coloquei na cama e estou escolhendo as poucas roupas que ainda me restam pra colocá-las.

Vou pra uma longa viagem.

Pegarei o primeiro avião até onde possa chegar a um navio.

Sim, porque uma viagem de navio foi o que sempre quis. E vou me instalar no melhor andar, onde dê pra ver o céu até quase acabar e as ondas onde se transformarem em um tapete azul.

Com todo o prazer e luxo que me é querido.  Vou comer o que eu quiser, beber o que tiver vontade, me esbaldar com tudo como não o faço tem muito tempo ou, quem sabe, nunca fiz.

A música, ah! A música será ouvida intensa e gostosamente. Posso até dançar se tiver vontade. O par? Oras o par! Danço até sozinha e terei muito prazer. Sou ótima companhia.

Vou me sentar na espreguiçadeira logo ali, tomar o solzinho da manhã, ficar olhando e sentindo o balanço das ondas, pensando em nada.

Ou talvez até pense como é boa a vida vivida assim. Fazendo o que gosto, sentindo o cheirinho desse mar sem fim, esperando que me sirvam o que pedi: um suco de maracujá com abacaxi com pouco gelo que é pra degustar os sabores das frutas e uns canapés de queijo cottage com óleo de linhaça, mistura super boa pra saúde.

Saúde é algo que tem sido o centro de minhas atenções nos últimos tempos e pesquiso tudo o que possa ser bom pra mim. E uma das coisas que descobri ser ótimo é fazer algo que a gente gosta ou quer muito. Por isto resolvi fazer uma longa viagem pelo mar, não pensar em nada sério, não me preocupar com contas ou coisas do gênero. Só ir andando, vendo o mar, sentindo o sol, falando com quem falar comigo, ficando em silêncio se for o caso, meditar… expulsar do pensamento o que não for útil para esses momentos que são só meus.

Depois que fiquei bem mais esbelta – aliás, como sempre sonhei – tenho pouca roupa que me serve. Mais são os vestidos e blusas de minhas filhas que agora me servem como luvas. Mas tenho de confessar que nunca fui muito vaidosa e então as peças que tenho, mais umas duas peças que comprei, estão ótimas. Óculos para sol não uso porque nunca gostei e sempre achei que enxergava menos com qualquer um deles.

Como as roupas eram poucas, deu pra trazer uma maleta de cheia de livros os mais diferentes. Porque ficar sem ler seria um castigo e não estou pra isso. Trouxe um pouco de cada assunto, de forma a me atender nos momentos diversos. Crônicas, poesias, romances leves… Sim, tudo leve, pois afinal estou me sentindo em férias e nesse período não quero nada pesado que possa modificar ou tentar me ater a coisas que prendam demais minha atenção. Esse marzão aí na frente, a espuma borbulhante, esse cheirinho diferente de todos os meus dias… não tem nada que possa me desviar.

E a música lá fazendo fundo. Uma seleção perfeita de tudo que gosto e sei bem que sou eclética em tudo que seleciono. Ninguém entende nada como pode tocar ora uma coisa ora outra. E eu permanecer com este sorriso gostoso, me fartando de tudo.

Eu e a vida. A vida e eu. Nada mais nada menos.viagem

Logo mais uma cama gostosa, abraçando travesseiros fofos, me aninhando gostosamente, pra acordar amanhã e curtir tudo de novo.

Dormir o sono dos deuses, sonhar as nuvens do céu, me sentir envolvida pelo universo, ser amada e amar com volúpia todos os sentimentos que me afloram.

A vida que pedi e que os sonhos permitem.

 

SK – junho/14

 

Saudade do Sonho

saudade

Saudade do meu menino.

Daquele que teci em meus sonhos.

Um pequeno grande homem.

Um alguém que me leva a sentir,

A amar, a querer.

Saudade dos toques que não são,

Vontade dos beijos que não chegam,

Desejo de um corpo que não é.

Fico aqui só sentindo,

Tendo saudade de um sonho.

Vontade de uma voz que me fala,

De um abraço que me toca,

De uma boca que me devora.

Saudade de um todo que não se realiza.

Vontade de ser com um ser que não está.

Acaba sendo dor esta paixão latente.

Acaba sendo patente esta dor de paixão.

Sonia K.

Você

Você – uma dúvida, um pensamento.

Você – um sentir, um medo.

Você – uma tentativa, um lamento.

Você – alcanço pelo tato e sentimento.

É quase um renascer dentro de mim.

Deve ser sonho ou faz parte do mundo

que outrora foi meu.

Você – é um voltar dentro da vida,

uma introspecção no labirinto de meus anos.

A dúvida é pelo novo.

O pensamento é pela constância.

O sentir é pelo renascer.

O medo é da descoberta e ter de acordar.

A tentativa é um direito que me dei.

O lamento é de quase amor que brota.

SK/80

Doce, querido, amado, louco amor!

Doce amor de sonho,

de nuvens correndo o céu,

de sol brilhando,

de estrelas faiscando,

de luar banhando a vida.

Querido amor de vibração,

de coração batendo,

de olhos brilhando,

de mãos  tremendo,

de ondas de calor e frio.

Amado amor adolescente,

de mãos andando juntas,

de longos passeios ao ar livre,

de braços fortes segurando os ombros.

Louco amor de juventude,

olhos nos olhos,

mãos nas mãos,

coração pulsando violento,

sem palavras, sem gestos, sem toques,

só vibrações e sentimentos,

sem mentiras, sem futuro,

presente só o momento.

Louco, amado, querido, doce amor!

SK

LIBERDADE

Eu falo em liberdade desde que me conheço por gente. Ainda pequena eu queria crescer logo pra poder ser livre, sair, trabalhar, me realizar sem interferências de pai, mãe ou outros. Dizia que queria morar sozinha. E foi um sonho que tive pela vida afora, que ainda não consegui realizar.

Acabei por morar com meus pais até o casamento, quando passei a dividir o espaço com o marido e vieram os filhos que ocuparam grande pedaço e vieram os lances da vida trazendo minha mãe e irmão para junto de mim novamente e fui caminhando sempre na divisão do tal espaço que eu idealizava só meu.

Tive meu quarto só pra mim com muito esforço, pois com crianças sempre temos alguém querendo dividir a cama. Consegui, meio neuroticamente, ter meu lugar marcado à mesa de refeições, meu jogo de talheres de cor diferente, meu copo em formato que difere dos outros, meu sofá na sala e… o espaço sempre dividido.

Dizem que eu considero o ser só como algo muito bom e necessário ao ser humano porque nunca estive só, nunca contei com a solidão. Sempre discordo de tal colocação, até porque acho que solidão é algo que está dentro de cada um com maior ou menor intensidade.

Ouço e leio sobre pessoas que têm enorme vazio dentro de si, que falam em solidão como uma dor. Talvez essa solidão que dizem doer, seja algo inerente ao próprio ser e não um vazio de divisão de espaço.

Liberdade pra mim é algo maior. Algo que está instalada dentro de minha alma. Sou livre por natureza. Nunca consegui seguir regras, ter disciplina rígida, obedecer ao pé da letra. Sempre encontrei  forma de sair de qualquer coisa que me segurasse no que eu queria fazer. E fui vivendo sem amarras, conseguindo driblar situações que me incomodavam. Imagine que, na juventude –  bem jovem mesmo, pois iniciei no trabalho cedo –  até piquei cartão de ponto numa das primeiras empresas que trabalhei, pois achava um abuso ser cronometrada quando nunca me negava a ficar bem depois do horário cobrindo necessidades.

Sempre fui muito independente e detestei em todas as ocasiões ter a perspectiva de depender de alguém. Até quando me divorciei, fiquei com as duas meninas pequenas, mas dispensei pensão alegando que tinha condições de mantê-las com meu trabalho e sempre o fiz de forma muito digna. Confesso hoje em dia que poderia ter contado com alguma colaboração do pai, o que teria me onerado menos e até poderia ter tido oportunidade de mais viagens e férias. Mas valeu a forma que escolhi na ocasião.

Um grande amigo meu, um alemão muito especial, que tinha muitos anos a mais de vida, sempre me dizia: ” querrida, o que não te derruba só te fortalece”. E é verdade. Lutando a gente vai tendo consciência do quanto se pode ser forte e destemida.

E com esta forma de ser e pensar, não devo ter sido uma boa educadora, não conseguindo instalar em meus filhos a questão da disciplina, regras, obrigações. Mas, se realmente o exemplo é a melhor forma de ensinar, espero ter conseguido repassar a questão de responsabilidade e força para enfrentar a vida. Pois, mesmo sem muita disciplina, sou danadamente responsável com tudo e todos, tentando sempre não faltar com minha presença nos principais momentos, colaborando no que posso e, por vezes, até no que não posso.

Agora, já dobrando no tempo, permaneço com minha ideia de poder um dia desses morar sozinha. Será uma experiência que ainda não tive e que me empolga. Será que logo mais vou poder?

Hoje já me sinto mais enfraquecida diante da vida, dos afazeres, com menos condição física pra enfrentar o dia a dia. Mas ainda assim me entusiasmo com a idéia e afinal sonhar é algo que faz bem pra alma, mesmo sabendo que poderá não deixar de ser só um sonho que permanecerá.

Sonia K.

24/9/2012

Hoje o amei

Hoje eu o amei.

Amei em sonhos,

Amei com vontade.

Deixei-me ficar livre e solta,

Sentindo você.

Deixei os sentidos se apossarem.

E amei cada toque seu,

Cada roçar em minha pele.

Fiquei toda a sua espera,

Fui de encontro ao seu eu mais profundo.

E me deixei penetrar toda,

Apertei-o fundo em mim

E fiquei sentindo sua respiração mais forte,

Seu coração batendo louco.

Sua voz me dizendo o que tinha em si

E seu corpo se completando no meu.

Uma loucura de sonho,

Uma realidade latente,

O maior sonho de amor do mundo.

E só fiquei…. só senti….só sonhei… e só amei…. você.

Gostoso amar você

É gostoso amar você.

Amar a imagem que só vi estática.

Amar a voz que me chega de longe.

Amar cada toque que descreve.

Sentir seus beijos caminhando.

Sentir sua boca me desenhando.

Deixar livre essa mão mais atrevida.

Soltar-me inteira e senti-lo solto,

Ouvir seu coração batendo forte no peito.

Perder-me em seus abraços

E me entregar toda à explosão dessa paixão.

É gostoso amar você,

Meu pequeno lindo sonho.