Arquivo de Tag | velhice

Recomendações importantes

 girassol

1 – Tome posse da maturidade. A longevidade é uma bênção! Comemore! Ser maduro é um privilégio; é a última etapa da sua vida e se você acha que não soube viver as outras, não perca tempo, viva muito bem esta. Não fique falando toda hora: “estou velho”.  Velho é coisa enguiçada. Idade não é pretexto para ninguém ficar velho

.2 – Perdoe a você antes de perdoar os outros. Se você falhou, pediu perdão? Deus já o perdoou e não se lembra mais. Não fique remoendo o passado. Não se importe com o julgamento dos outros.

3 – Viva com inteligência todo o seu tempo. Viva a sua vida, não a do seu marido, da sua esposa, dos filhos, dos netos, dos parentes, dos vizinhos, dos amigos… Nem viva só pra eles, viva pra você também. Isto se chama amor próprio, aquilo que você sacrificou sempre! Nunca viva em função dos outros. Faça o seu projeto de vida!

4 – Coma e beba com moderação; durma o suficiente. Tenha disciplina. Fale com muita sabedoria. Discipline sua voz: nem metálica; nem baixinha; seja agradável!

5 – Poupe seus familiares e amigos das memórias do passado. Valorize só o que foi bom. Experiências caóticas, traumas, fobias, neuroses, devem ser tratadas com o psicoterapeuta.

6 – Não aborreça ninguém com o relatório das suas viagens. Elas são interessantes só pra quem viaja. Ninguém aguenta ouvir os relatórios e ver fotografias horas e horas. Comente apenas o destino e a duração da viagem, se alguém perguntar.

7 – Escolha bons médicos. Não se automedique. Não há nada mais irritante do que um idoso metido a receitar remédio pra tudo o que o outro sente. Faça uma faxina na sua farmácia doméstica.

8 – Não arrisque cirurgias plásticas rejuvenescedoras. Elas têm prazo curto de duração. A chance de você ficar mais feio é altíssima e a de ficar mais jovem é fugaz. Faça exercícios faciais. Socorra os músculos da sua face. Tome no mínimo 8 copos de água por dia e 15 min de banho de sol é indispensável.

9 – Use seu dinheiro com critério. Gaste em coisas importantes e evite economizar tanto com você. Tudo o que se economizar com você será para quem? No dia em que você morrer, vai ser uma feira de Caruaru na sua casa. Vão carregar tudo. Não darão valor a nada daquilo que você valorizou tanto: enfeites, penduricalhos, livros antigos, roupas usadas, bijuterias cafonas, ouro velho, prataria preta, troféus encardidos, placas de homenagens. Por que não doar as roupas, abrir um brechó ou dar todas as suas bugigangas? 

10 – A maturidade não lhe dá o direito de ser mal-educado. Nada de encher o prato na casa dos outros ou no self-service ou numa festa de casamento. Falar de boca cheia é insuportável.

11 – Só masque chiclete sem testemunhas. Não corra o risco de acharem que você já está ruminando ou falando sozinho (a). rsrsr

12 – Aposentadoria não significa ociosidade. Você deve arranjar alguma ocupação interessante e que lhe dê prazer. Serve qualquer coisa: ganhando ou gastando (se tiver) dinheiro.

13 – Cuidado com a nostalgia e o otimismo. Pessoas amargas e tristes são chatíssimas, as alegres demais, também. Elogie os amigos, não fique exigindo explicações de tudo. Amigo é amigo.

14 – Leia. Ainda há tempo para gostar de aprender. A maturidade pode lhe trazer sabedoria. Coloque-se no grupo sempre pronto para aprender. Não se apresente em lugar nenhum dizendo: sou muito experiente!

15 – Não acredite nas pessoas que dizem que não têm nada demais o idoso usar roupas de jovens, cuidado. Vista-se bem, mas com discrição.

16 – Seja avô/avó do seus netos, não o pai, a mãe  ou a babá. Por isso nem pense em educá-los ou comprometer todo o seu tempo com as tarefas chatas de ir buscar na escola, levar a festinhas, natação, inglês, vôlei… Só nas emergências. Cuidado com aquela disponibilidade que torna os outros irresponsáveis.

17 – Se alguém perguntar como vão seus netos, não precisa contar tuuuudo! Evite discorrer sobre a beleza rara e a inteligência excepcional deles. Cuidado com a idolatria de neto e o abandono dos filhos casados.

18 – Não seja uma sogra ou sogro chato. Nunca peça relatório de nada. Seu filho tem a família dele. Você agora é parente! Nunca, nunca mesmo, visite seus filhos sem que seja convidado. Se o filho ligar pra você, não diga: ah! lembrou finalmente da sua mãe? É melhor dizer: Deus o abençoe meu filho.

19 – Cuidado em atender ao telefone: se a pessoa perguntar como você vai e você responder “estou levando a vida como Deus quer”, “a vida é dura”, “estou vencendo a dureza”, você vai ver que as ligações dos amigos e dos parentes vão rarear, cada vez mais.

20 – A maturidade é o auge da vida, porque você tem idade, juízo, experiência, tempo e capacidade para se relacionar melhor com as pessoas. Então delete do seu computador mental o vírus da inveja, do orgulho, da vaidade, promiscuidades, cobranças, coisas pequenas e frustrantes para tomar posse de tudo o que você sempre sonhou: a felicidade!

* Ivone Boechat é mestre em educação, pedagoga, conferencista e escritora. Autora do livro “Estratégias para encantar educadores na Arte de Aprender”.          

 

Anúncios

Reflexões sobre Terceira Idade

Reflexões do Dr° Drauzio Varella na Terceira Idade
flor da idade

 VELHICE SAUDÁVEL

Ninguém está são depois dos 50. Sãos estão os jovens: os velhos têm sempre uma ou várias doenças que são próprias da idade.

Do que se trata então é de envelhecer com as doenças controladas e sem complicações.

GENÉTICA

Se queres saber quanto viverás e como chegarás a essa idade,  recorda os teus pais. A carga genética é fundamental para estabelecer um prognóstico de vida. Quem teve câncer ou enfarte antes dos sessenta, o transmitirá a seus filhos pelos genes e, por isso, estes terão maior probabilidade de desenvolver as mesmas enfermidades. Logicamente o desenvolvimento de uma doença crônica requer a presença de vários fatores, sendo o genético apenas um deles.

NÃO HÁ PECADO GRATUITO

“Somos o que comemos” dizem os naturalistas, e não falta razão para isso. Se além de ter uma carga genética desfavorável pois 3 ou 4 colherinhas de açúcar em cada café que tomas, saboreias todas as peles do frango assado e deleita-se com o torresmo de porco, estás convertendo tuas artérias em tubulações entupidas. Não haverá boa circulação, não haverá boa oxigenação o que equivalerá à morte celular ou, dito de outro modo, envelhecimento acelerado e prematuro.

Em consequência, se queres ter uma velhice saudável a partir dos 50 anos, cuide da tua alimentação e deixe de comer coisas químicas e de abusar das gorduras… Um bom café da manhã, um bom almoço e um péssimo jantar são a chave para equilibrar teu meio interno.

TÃO-POUCO SEJAS RADICAL!

Isto quer dizer que todas estas regras são boas, porém sem exagerar e, sobretudo, sem dogmatizar. Se fazes um churrasco para tua família ou amigos não venha com  “não como chouriço porque é muito gorduroso” ou “meu médico me disse para tomar só dois copos”

Nada substitui a alegria e o prazer de compartilhar momentos agradáveis com os que te querem bem; não há gordura nem bebida que não se possa metabolizar-se numa boa tarde de relaxamento. Os mecanismos de compensação de nosso corpo são ainda pouco conhecidos, porém assim funciona: se desfrutas verdadeiramente o “pecado mortal” dietético se transforma em “pecado venial”.

NADA FICARÁ IMPUNE

Isso é absolutamente certo porque tudo o que comas e bebas deixará vestígios e, qual retrato de Dorian Grey, teu corpo te mostrará na velhice. As noitadas de diversão, os excessos de todo tipo farão a vida do velho muito sofrida. E não somente a ti, mas também à sua família.

PERDAS

A principal desgraça para um ancião é a solidão. O habitual é que os casais não cheguem juntos à velhice; sempre alguém vai primeiro, com o que se desequilibra todo o status que sustentava o casal. O viúvo ou a viúva começa a ser uma carga para a família.

Minha recomendação pessoal é que tratem de não perder – enquanto forem lúcidos – o controle de sua vida. Isso significa, por exemplo: eu decido quando e com quem saio, como me visto, a quem telefono ou encontro, a que horas vou dormir, como me distraio, o que leio, o que compro, onde vou morar, etc. Porque, quando já não possas fazer tudo isso, te terás transformado em um peso para a vida dos demais.

drauzio   Escrito por Dr° Drauzio Varella

 

 

 

Alguns conselhos

Já sei que pensaram e falaram que se conselho fosse realmente útil seria vendido.

Também acho, mas alguns comentários que são feitos acho bem pertinentes.

Sempre é bom pensar um pouquinho.

Afinal envelhecer é parte da vida, mas ser chato ou inconveniente….

 

 

idoso

1 – Tome posse da maturidade. A longevidade é uma bênção! Comemore! Ser maduro é um privilégio; é a última etapa da sua vida e se você acha que não soube viver as outras, não perca tempo, viva muito bem esta. Não fique falando toda hora: “estou velho”.  Velho é coisa enguiçada. Idade não é pretexto para ninguém ficar velho.

.2 – Perdoe a você antes de perdoar os outros. Se você falhou, pediu perdão? Deus já o perdoou e não se lembra mais. Não fique remoendo o passado. Não se importe com o julgamento dos outros.

3 – Viva com inteligência todo o seu tempo. Viva a sua vida, não a do seu marido, da sua esposa, dos filhos, dos netos, dos parentes, dos vizinhos, dos amigos… Nem viva só pra eles, viva pra você também. Isto se chama amor próprio, aquilo que você sacrificou sempre! Nunca viva em função dos outros. Faça o seu projeto de vida!

4 – Coma e beba com moderação; durma o suficiente. Tenha disciplina. Fale com muita sabedoria. Discipline sua voz: nem metálica; nem baixinha; seja agradável!

5 – Poupe seus familiares e amigos das memórias do passado. Valorize só o que foi bom. Experiências caóticas, traumas, fobias, neuroses, devem ser tratadas com o psicoterapeuta.

6 – Não aborreça ninguém com o relatório das suas viagens. Elas são interessantes só pra quem viaja. Ninguém aguenta ouvir os relatórios e ver fotografias horas e horas. Comente apenas o destino e a duração da viagem, se alguém perguntar.

7 – Escolha bons médicos. Não se automedique. Não há nada mais irritante do que um idoso metido a receitar remédio pra tudo o que o outro sente. Faça uma faxina na sua farmácia doméstica.

8 – Não arrisque cirurgias plásticas rejuvenescedoras. Elas têm prazo curto de duração. A chance de você ficar mais feio é altíssima e a de ficar mais jovem é fugaz. Faça exercícios faciais. Socorra os músculos da sua face. Tome no mínimo 8 copos de água por dia e 15 min de banho de sol é indispensável.

9 – Use seu dinheiro com critério. Gaste em coisas importantes e evite economizar tanto com você. Tudo o que se economizar com você será para quem? No dia em que você morrer, vai ser uma feira de Caruaru na sua casa. Vão carregar tudo. Não darão valor a nada daquilo que você valorizou tanto: enfeites, penduricalhos, livros antigos, roupas usadas, bijuterias cafonas, ouro velho, prataria preta, troféus encardidos, placas de homenagens. Por que não doar as roupas, abrir um brechó ou dar todas as suas bugigangas?

10 – A maturidade não lhe dá o direito de ser mal-educado. Nada de encher o prato na casa dos outros ou no self-service ou numa festa de casamento. Falar de boca cheia é insuportável.

11 – Só masque chiclete sem testemunhas. Não corra o risco de acharem que você já está ruminando ou falando sozinho(a).rsrsr

12 – Aposentadoria não significa ociosidade. Você deve arranjar alguma ocupação interessante e que lhe dê prazer. Serve qualquer coisa: ganhando ou gastando (se tiver) dinheiro.

13 – Cuidado com a nostalgia e o otimismo. Pessoas amargas e tristes são chatíssimas, as alegres demais, também. Elogie os amigos, não fique exigindo explicações de tudo. Amigo é amigo.

14 – Leia. Ainda há tempo para gostar de aprender. A maturidade pode lhe trazer sabedoria. Coloque-se no grupo sempre pronto para aprender. Não se apresente em lugar nenhum dizendo: sou muito experiente!

15 – Não acredite nas pessoas que dizem que não têm nada demais o idoso usar roupas de jovens, cuidado. Vista-se bem, mas com discrição.

16 – Seja avô/avó do seus netos, não o pai, a mãe  ou a babá. Por isso nem pense em educá-los ou comprometer todo o seu tempo com as tarefas chatas de ir buscar na escola, levar a festinhas, natação, inglês, vôlei… Só nas emergências. Cuidado com aquela disponibilidade que torna os outros irresponsáveis.

17 – Se alguém perguntar como vão seus netos, não precisa contar tuuuudo! Evite discorrer sobre a beleza rara e a inteligência excepcional deles. Cuidado com a idolatria de neto e o abandono dos filhos casados.

18 – Não seja uma sogra ou sogro chato. Nunca peça relatório de nada. Seu filho tem a família dele. Você agora é parente! Nunca, nunca mesmo, visite seus filhos sem que seja convidado. Se o filho ligar pra você, não diga: ah! lembrou finalmente da sua mãe? É melhor dizer: Deus o abençoe meu filho.

19 – Cuidado em atender ao telefone: se a pessoa perguntar como você vai e você responder “estou levando a vida como Deus quer”, “a vida é dura”, “estou vencendo a dureza”, você vai ver que as ligações dos amigos e dos parentes vão rarear, cada vez mais.

20 – A maturidade é o auge da vida, porque você tem idade, juízo, experiência, tempo e capacidade para se relacionar melhor com as pessoas. Então delete do seu computador mental o vírus da inveja, do orgulho, da vaidade, promiscuidades, cobranças, coisas pequenas e frustrantes para tomar posse de tudo o que você sempre sonhou:
a felicidade!

* Ivone Boechat é mestre em educação, pedagoga, conferencista e escritora. Autora do livro “Estratégias para encantar educadores na Arte de Aprender”.

“O desejo de ir em direção ao outro, de se comunicar com ele, ajudá-lo de forma eficiente, faz nascer em nós uma imensa energia e uma grande alegria, sem nenhuma sensação de cansaço.”

Dalai Lama

Sorria…. viva!

Pense bem. A vida é um lapso no tempo.

V. é criança… pouco mais adolescente… logo em seguida jovem… mais um tequinho e torna-se adulto.

Luta, corre, fala em realizações, procria, caminha contra o vento, às vezes “sem lenço e sem documento”…  

num estalar de dedos e chega a maturidade,

logo seguida da tal velhice e passa a ser chamado de “terceira idade” ou idoso.

É tudo tão rápido que a gente só vai sentir que, de repente,

se olha no espelho e as rugas se instalaram,

nasceram pelos onde sempre foi liso, dores estranhas começam a doer aqui e ali….

os cabelos vão rareando sendo homem ou mulher….

Os sonhos vão ficando distantes… 

A memória vai escapando…

Daí a gente tem de parar, olhar pra trás e ver que a vida é mesmo um raio.

Então…….sorria

Relógio do Coração

tempo

Há tempos em nossa vida que contam de forma diferente.

Há semanas que duraram anos, como há anos que não contaram um dia.

Há paixões que foram eternas, como há amigos que passaram céleres,

apesar do calendário mostrar que eles ficaram por anos em nossas agendas.

Há amores não realizados que deixaram olhares de meses,

e beijos não dados que até hoje esperam o desfecho.

Há trabalhos que nos tomaram décadas de nosso tempo na terra,

mas que nossa memória insiste em contá-los como semanas.

Há casamentos que, ao olhar para trás, mal preenchem os feriados das folhinhas.

Há tristezas que nos paralisaram por meses, mas que hoje,

passados os dias difíceis, mal guardamos lembranças de horas.

Há eventos que marcaram, e que duram para sempre,o nascimento do filho,

a morte do pai, a viagem inesquecível, um sonho realizado.

Estes têm a duração que nos ensina o significado da palavra “eternidade”.

Já viajei para a mesma cidade uma centena de vezes,

e na maioria das vezes o tempo transcorrido foi o mesmo.

Mas conforme meu espírito, houve viagem que não teve fim até hoje,

como há percurso que nem me lembro de ter feito, tão feliz eu estava na ocasião.

O relógio do coração – hoje eu descubro – bate noutra freqüência daquele que carrego no pulso.

Marca um tempo diferente, de emoções que perduram e que mostram o verdadeiro tempo da gente.

Por este relógio, velhice é coisa de quem não conseguiu esticar o tempo que temos no mundo.

É olhar as rugas e não perceber a maturidade.

É pensar antes naquilo que não foi feito,

ao invés de se alegrar e sorrir com as lembranças da vida.

Pense nisso.

E consulte sempre o relógio do coração:

Ele te mostrará o verdadeiro tempo do mundo.

Mário Quintana

Ficar velha

Quando uma velha senhora morreu na seção para o tratamento de doenças da velhice em uma pequena clínica perto de Dundee, na Escócia, todos estavam convencidos de que ela não havia deixado nada de valor. Então, quando as enfermeiras verificaram seus poucos pertences, encontraram um poema. Sua qualidade e conteúdo impressionaram todas as pessoas, e todas as enfermeiras queriam uma cópia do mesmo. Uma delas levou uma cópia para a Irlanda. A única herança – o poema – que a velha deixou para seus sucessores foi publicado na edição de Natal da notícia da União para a Saúde Mental na Irlanda do Norte. Este poema, simples, mas eloquente, também foi apresentado com slides. Então, esta velha senhora da Escócia, sem posses materiais para deixar, é a autora deste poema “anônimo” que circula na Internet. A Velha Rabugenta – Texto encontrado em pertences de uma idosa que não tinha posses materiais.

velhinha triste

Que veem amigas? Que veem?

 Que pensam quando me olham?

Uma velha rabugenta não muito inteligente, de hábitos incertos, com seus olhos sonhadores fixos ao longe?

A velha que não responde ao tentar ser convencida… de,

“fazer um pequeno esforço?”

A velha, que vocês acreditam que não se dá conta das coisas que vocês fazem,

e que continuamente perde a sua escova ou o sapato?

A velha, que contra sua vontade, mas humildemente,

lhes permite fazer o que queiram,

que me banhem e me alimentem só para o dia passar mais depressa….

É isso que vocês acham?

É isso que vocês veem?

Se assim for, abram os olhos, amigas, porque isso que vocês veem não sou eu!

Vou lhes dizer quem sou, quando estou sentada aqui,

tão tranquila como me ordenaram…

Sou uma menina de 10 anos, que tem pai e mãe irmãos e irmãs que se amam.

Sou uma jovenzinha de 16 anos.

Com asas nos pés, e que sonha encontrar seu amado.

Sou uma noiva aos 20, cujo coração salta nas lembranças,

quando fiz a promessa que me uniu até o fim de meus dias com o AMOR de minha vida.

Sou ainda uma moça com 25 anos, que tem seus filhos, que precisam que eu os guie…

Tenho um lugar seguro e feliz!

Sou a mulher com 30 anos.

Onde os filhos crescem rápido, e estamos unidos com laços que deveriam durar para sempre…

Quando tenho 40 anos meus filhos já cresceram e não estão em casa…

Mas ao meu lado está meu marido que me acalenta quando estou triste.

Aos cinquenta, mais uma vez comigo deixam os bebês, meus netos,

e de novo tenho a alegria das crianças, meus entes queridos junto a mim.

Aos 60 anos, sobre mim nuvens escuras aparecem,

e quando olho meu futuro me arrepio toda de terror.

Os meus filhos se foram, e agora têm os seus próprios filhos…

Então penso em tudo o que aconteceu e no amor que conheci.

Agora sou uma velha.

Que cruel é a natureza…

A velhice é uma piada que transforma um ser humano em um ser alienado.

O corpo murcha, os atrativos e a força desaparecem.

Ali, onde uma vez esteve um coração agora há uma pedra.

No entanto, em meio às ruínas a menina de 16 anos ainda está viva.

E o meu coração cansado ainda está repleto de sentimentos vivos e conhecidos.

Recordo os dias felizes e tristes.

Em meus pensamentos volto a amar e a viver o meu passado.

Penso em todos esses anos, que foram, ao mesmo tempo,poucos,

mas que passaram muito rápido, e aceito o inevitável.

Que nada pode durar para sempre… por isso abram seus olhos e vejam:

diante de vocês não está uma velha mal-humorada.

Diante de vocês estou apenas “EU…”.

Uma menina, mulher e senhora viva…!!!

E com todos os sentimentos de uma vida…”

 Lembre-se deste poema da próxima vez que encontrar uma pessoa idosa e mal-humorada, e não a rejeite sem olhar primeiro a sua alma jovem…

Você… vai estar algum dia em seu lugar…

 Texto copiado sem constar autoria.

My God, estou ficando velho!

envelhecer sorrindo 

Sempre pensei que a velhice era algo tão distante, que provavelmente nunca me ocorreria.

Mas isso porque eu era muito, muito jovem.

Depois, dos trinta pra frente, a velhice passou a ser algo possível, mas um porto ainda incerto e longínquo aonde atracaria o navio de meu corpo desgastado pelas tempestades da vida.

De repente, os quarenta passaram, entrei nos 50 anos. E, agora, nos 60.

Os americanos, malucos por expressões politicamente corretas, chamam as pessoas de 50 a 65 anos de idosos júnior (dos 65 aos 80 de idosos seniores e de 80 pra frente de idosos máster).

Não aparento a idade, ainda. Até porque, por ser da geração hippie, que bebeu todas, tomou todas, encarou tudo, devo ter envelhecido, sem querer, em tonéis de carvalho, como um bom uísque.

Bem, se você leitor (a), está nesta faixa de idade, que a propaganda popularizou como tio sukita, sabe muito bem dos sustos e prazeres que apenas a maturidade pode trazer.

O sábio e irônico Millor Fernandes disse que a idade só traz mesmo é mais idade. Desmentindo a si mesmo, porém, a cada ano escreveu melhor.

Aqui, gostaria de falar de fatos marcantes que vêm junto com o pacote da velhice:

Primeiro é o entendimento de que velhice é mesmo um estado de espírito. E, sendo um estado de espírito, está em nossas mãos batalhar para que seja bom, leve, prazeroso.

Isso é possível, acessível a qualquer um.

Agora, no que todos concordam, jovens e velhos, é que não dá para ser Peter  Pan depois dos cinquenta.

Não me refiro a tingir o cabelo de loiro pagodeiro, usar roupinhas de garotão e outros recursos para parecer que os anos não passaram.

É meio ridículo, não engana ninguém, mas um mal menor.

Duro é se recusar a crescer.

Porque o lado maravilhoso da maturidade é a habilidade, que apenas o tempo aprimora, de pegar os limões e fazer saborosas limonadas.

Desobrigados de ter objetivos fantásticos, grandiosos, altamente custosos e frustrantes (como comprar uma super casa financiada em 30 anos ou trabalhar como um mouro em busca da cenoura do 1 milhão de dólares), podemos nos concentrar no varejo da vida, e não mais no atacado.

Em vez de sexo apenas, sexo com amor e carinho e sem vergonha de qualquer fantasia.

Em vez de planos e projetos para anos a fio, o carpe die, um dia de 24 horas plenas.

Em vez de correria, um passo de cada vez.

Em vez de mil conhecidos, alguns amigos do peito bem cultivados.

Em vez de sonhar com um hobby, um passatempo, um curso, uma viagem, para quando tiver tempo, realizar já.

Em vez de olhar o próprio umbigo, descobrir que existem umbigos tão ou mais interessantes que o nosso.

Olhar, com olhos surpresos de netinho, como os velhos contribuem para remoçar o mundo com sua sabedoria acumulada.

Igual um Peter Druker que, do alto de seus 90 anos, sacode a nova economia.

            Igual, no nível local, um Sobral Pinto que tirou o Collor do phoder também aos 90 anos.

Igual tantos e tão ilustres e revolucionários cinquentões, sessentões, setentões, oitentões, no mundo inteiro, que servem de farol da humanidade.

Não há uma regra de como ir envelhecendo sem perder a juventude da alma.

Mas talvez seja o dar-se o luxo de não ter regras, verdades definitivas, esse o grande segrêdo de envelhecer com graça e juventude no interior do peito, já que, no exterior, tudo cai pela lei da gravidade, naturalmente.

Vocês já viram na televisão, no teatro, na literatura, que as tesudas Lolitas procuram homens maduros em busca de proteção. Mentira pura. Só velhinhos mal resolvidos caem nessa armadilha erótica capitalista.

Fruta madura prefere outra igual, mais doce, menos verde.

Envelhecer é um privilégio (quantos não morrem no meio do caminho?), não uma maldição. Mas se não aprendeu até aqui não vai aprender nunca mais.

Isso eu aprendi.

E vamos parar com essa bobagem de politicamente correto! Velho não é melhor da terceira idade ou idoso sênior. Velho é velho e pronto. Com mérito e orgulho.

Ulisses Tavares tem 62 anos e o mesmo tesão pela vida de sempre. Coisas de poeta.