Arquivo de Tag | ternura

Cheia de você

escreverVoltei a escrever!

Nada de tão importante, nenhuma obra de arte,

Mas depois de um longo e longo tempo,

Consegui voltar a escrever.

E isto é muito importante e bom pra mim.

É algo inerente ao meu ser que preciso sempre dar vazão.

Qualquer que seja o tema ou motivo.

E devia estar muito vazia de tudo,

Pois nada me levava a transmitir em letras.

Devo estar cheia novamente.

De idéias, de sonhos, de saudade, de amor, de raiva,

de ternura, de desejos…

De todos os sentimentos de que sou capaz.

Acho que estou cheia de você,

Meu sonho mais gostoso de sonhar.

Sonia K.

Anúncios

A vida tem dois caminhos

lindos caminhos

Ou você segue o caminho da Tristeza,

arma-se de medo, de ciúmes e de falsas alegrias,arma-se de angústia, fecha os olhos, se acomoda, e segue o rebanho dos que não sabem;

obedece a regras injustas, não reage, não questiona,
não se aprimora, não lê, não significa,
nem percebe o absurdo em que se mete.

Vende a própria natureza por duas ou três moedas de aço,

troca a inocência pela responsabilidade apressada,
torna-se respeitável aos olhos da sociedade,
cumpre horários, nunca tem tempo,
preocupa-se com coisas banais;
comerciante das próprias emoções, já não brinca,
vive correndo, ama com pressa,
esquece-se da lua,
e se torna uma pessoa média, mediana, medíocre,
pequena, cansada e normal…

Ou você escolhe o caminho da Ousadia,
compreende, se aprofunda, vai mais longe, realiza,
respeita o ser humano que existe em você mesmo,
resgata a própria vida e o sorriso,
rompe de vez com o passado agonizante,
procura defender a verdade, a justiça e a poesia,
acorda e assopra o fogo da alma que dormia,
ultrapassa os limites que sufocam,
cavalga o cavalo negro, cego e alado
das paixões gostosas e sublimes,
enche o peito de coragem, corações e relâmpagos,
acende de novo esse vulcão que é o teu corpo,
deixa a própria cabeça plena de agora,
de ternura e de vertigem,
e parte em busca de Aventura, de Amor e Liberdade.

É uma simples questão de escolha.dois caminhos

Qual é o teu caminho?

Edson Marques

(autor dos livros MUDE / SOLIDÃO A MIL / MANUAL DA SEPARAÇÃO)

O abraço que eu quero

Hoje eu queria um abraço.

Daqueles bem apertados, de peito aberto pra eu me aconchegar e só ficar.

Não precisava nem falar nada. Só apertar e permanecer.

E então eu sentir o cheiro, o coração batendo, uma força me amparando.

Só um abraço daqueles que abre os braços e me colhe como se eu fora uma flor ou uma criança que se deixa envolver.

Eu ficaria horas assim, sem palavras, sem cansaço, com ternura e talvez com amor. Porque o amor é mais ou menos assim, leve, suave, que aperta e não afoga, que prende, mas não amarra, que fala em silêncio, que escuta sem palavras,  que afaga e não cobra, que deixa ficar e permanece. A amizade e o querer bem às vezes se vestem de amor e chega e acalanta, mesmo sem a paixão que só esquenta, mas não aquece.

Queria muito hoje esse abraço para cobrir uma carência que nem explico e talvez feita só de não estar sendo abraçada e envolvida. Um abraço que chegasse feito só de carinho e estar. Que se instalasse em meu dia e ficasse até que o sol se escondesse e as estrelas chegassem. Ficaríamos em silêncio, falando de tudo e de nada. Quem sabe até mais de nada do que de tudo.

Esse abraço sem rosto ou formato definido, é só um abraço de braços que me acariciam a alma e completam meu ser. É o invólucro do vazio que sinto sem ele.

Hoje eu só queria um abraço…….

Dia do Amigo

Foi uma delícia receber inúmeras mensagens, uma mais linda que a outra, pelo Dia do Amigo. É uma ternura que a gente guarda lá no fundinho do coração. Dentre elas consegui gravar uma que coloco aqui, muito linda e dedico a todos os meus amados amigos.

Dia da amizade

Hoje é dia da amizade?
E a amizade tem dia?
Se fosse por mim,
Eu faria todo dia:
Festa, guirlanda de flores,
Pintaria sóis,
Inventaria cores,
Pra ter junto de mim
Milhões de amigos,
Rindo de coração.Subiria no arco-íris,
Faria palhaçada,
Pra ouvir dos amigos,
Uma boa gargalhada.
Queria ver nos olhares o brilho,
O encanto, a música, a dança,
Pra fazer sair
De cada amigo a criança,
Que somente quer brincar,
Sem se preocupar,
Se a roupa tá suja ou rasgada,
Se a cara tá limpa ou lambuzada,
Se o carrinho é de plástico ou madeira,
Se a boneca é de pano ou de cera…
Se o amigo é real ou virtual,
Isso seria bem igual.
Queria mesmo ver a pureza,
Olhares de esperança,
Risos mil,
Ecoando por toda a terra,
Enchendo o mundo de alegria.E inventaram o dia do amigo?
Então, que seja hoje proibido:
Ficar triste, ficar doente,
Não dizer nada, estar descontente,
O silêncio, o mau-humor.
A lágrima fica autorizada,
Se ela for de emoção.
Fica liberado o amor,
O abraço-amigo bem forte,
Correndo do sul ao norte,
Nos unindo, ligando o mundo,
Numa corrente perfeita,
Celebrando e selando,
Este elo de amor.

Saudade

( homenagem à querida amiga Clemência Pizzigatti– brilhante artista plástica de Piracicaba, falecida em maio/09 – vide Google obras diversas)

Você saiu de cena

tão rápido e de leve

que ainda acho que anda por aqui.

Na lembrança seus gestos suaves.

Acho que a pessoa mais suave que conheci.

Até os últimos dias falamos sobre sua força e coragem

para encarar e tecer suas despedidas.

Até quando chorava por não dar mais

falar sobre o que não se queria,

mantinha a dignidade e emanava esperanças.

Será pra sempre o lembrar dos almocinhos em sua casa.

Mais do que o prazer de sentar à sua mesa,

a ternura e o carinho com que você recebia,

eram o grande alimento do corpo e da alma.

Esteja bem, amiga querida.

Tão abençoada, leve e terna como sempre foi,

distribuindo ternura, amor e suavidade

pelo seu caminho afora.

Falamos a primeira vez percorrendo uma exposição de orquídeas,

flores de que tanto gostava.

Que elas agora se formem em alamedas

deslumbrando-a em toda sua passagem.

Aqui estarei, amiga querida,

relembrando-a sempre em minha saudade.

Cheia de você

Voltei a escrever!

Nada de tão importante, nenhuma obra de arte,

mas depois de um longo e longo tempo,

consegui voltar a escrever.

E isto é muito importante e bom pra mim.

É algo inerente ao meu ser que preciso sempre dar vazão.

Qualquer que seja o tema ou motivo.

E devia estar muito vazia de tudo,

pois nada me levava a transmitir em letras.

Devo estar cheia novamente.

De idéias, de sonhos, de saudade, de amor, de raiva,

de ternura, de desejos…

De todos os sentimentos de que sou capaz.

Acho que estou cheia de você,

Meu sonho mais gostoso de sonhar.